quinta-feira, 8 de novembro de 2018

O futuro de Elvas a debate este fim-de-semana

Realiza-se amanhã pelas 21 horas na sala de conferências do Hotel D. Luís, a Assembleia Geral da Associação Empresarial de Elvas (AEE). Tendo em conta que na anterior AG do dia 6 de Abril nenhum associado marcou presença, e que a actual Direcção da AEE não se recandidata para novo mandato, é da maior importância para os empresários associados a reunião magna de amanhã. Entendo perfeitamente a posição da direcção presidida pela Sandra Pedras de não querer continuar, e aproveito a oportunidade para endereçar os meus parabéns pelo trabalho desenvolvido desde que tomaram posse. Que há muito por fazer? Sem dúvida, mas para isso os empresários devem fazer muito mais para que seja possível dar passos em frente.
São muitos os problemas com que os empresários em Elvas se debatem a diário, em especial os que têm os seus comércios no Centro Histórico da Cidade Património do Mundo. Ainda hoje numa conversa informal, um amigo revelou-me que no final do ano algumas casas poderão encerrar. Se o cenário já era complicado, provavelmente o 2019 arranque pior. Dirão alguns que isto não é novidade e que já se esperava que mais alguns comércios fechassem a porta. E ficamos impávidos e serenos à espera da ruína total? Muitos responderão que "não há nada a fazer", outros que "a cidade está morta", ou que "parece um monte". E pronto, como nada se faz, apenas aguardamos pela continuação da morte lenta com a qual identificamos "a cidade".
E o que tem a ver isto com a Assembleia Geral da AEE? Muito, pois os empresários têm uma grande quota de responsabilidade no panorama que diariamente assistimos. Não há forma de mudar o "chip". Muitos continuam a pensar que o comércio está como era há 20 anos atrás, e o mundo mudou radicalmente. A maioria continua a pensar por si, a falar mal do vizinho se for preciso, da Câmara que nada faz para trazer pessoas ao Centro Histórico, mas quando há eventos fecham a porta porque é fim de semana e "todos temos direito a descansar". Para quando se passa a pensar que só juntos é que podemos mudar o rumo dos acontecimentos? Só com estratégias em conjunto vamos conseguir que a hemorragia de fechos de casasse estanque. Daí a necessidade de marcarmos presença na Assembleia Geral, já que é nessas reuniões que os empresários devem debater todos os problemas e tratar de apresentar soluções. É difícil? É! Mas eu prefiro que seja difícil a ser impossível porque ficamos de braços cruzados à espera que aconteça um milagre. Eu vou marcar presença, e tu?

No dia seguinte, sábado dia 10, vai realizar-se no Centro de Negócios Transfronteiriço a 1ª Conferência "Eu quero Elvas a crescer", promovida pelo director do Linhas de Elvas João Alves e Almeida, e Paulo Lavadinho, da Booksfactory Editores. Das 14 às 18h30 serão nove os oradores convidados para apresentar em diversas áreas, como Elvas pode melhorar. Dou os meus parabéns à iniciativa, que vai ser anual, e espero sinceramente que conte com muita participação activa, para que entre todos os que cá estão e os que fazem parte da diáspora elvense, se consigam estratégias para alterar a letargia que assistimos a diário. Apenas um senão no que podemos ter no sábado. Excepção feita ao José Miguel Leonardo, presidente em Portugal da Randstad, sinto a falta de empresários para oradores. São necessários casos práticos para que as pessoas vejam que com estratégias provadas, é possível ver a luz ao fundo do túnel. Fica a dica para a próxima edição.

Scottish
Uma Paixão, uma opinião pessoal

P.S. - O post está escrito ao abrigo do antigo acordo ortográfico.

segunda-feira, 8 de outubro de 2018

Conversas de Barbearia #42 - "Rescaldo do São Mateus 2018" (2ª parte)



Segunda e última parte sobre o "Rescaldo do São Mateus 2018", onde os tertulianos continuam a opinar sobre o que viram, ou o que não viram e gostariam de ver na Maior Romaria do Sul do País.
Para fechar a edição das Conversas de Barbearia, um apontamento sobre a inauguração do Cine NOS em Elvas, onde os tertulianos marcaram presença, e aqui fizeram questão de falar sobre a mudança clara de proposta para os amantes da 7ª arte na nossa cidade e não só.

Caso queira participar, pode dar a sua opinião através do blogue Três Paixões, ou pelas redes sociais (FacebookGoogle+Twitter, ou YouTube).
Se não quiserem comentar ou lançar novas ideias, partilhem o vídeo para que muitos mais nos possam ver. Interajam connosco, partilhem os vossos pensamentos, comentem o que dizemos mesmo discordando, para que as Conversas de Barbearia sejam feitas não só pelos tertulianos, mas também por quem nos vê/ouve. Insistimos pois quantos mais formos, mais longe chegamos, mais forte se torna a voz dos que realmente importam, o cidadão comum.

Scottish
Uma Paixão, uma opinião pessoal

domingo, 7 de outubro de 2018

Conversas de Barbearia #42 - "Rescaldo do São Mateus 2018" (1ª parte)




Como não podia deixar de ser e depois das festas da cidade, voltamos às tertúlias com o "Rescaldo do São Mateus 2018". Na edição 42 das Conversas de Barbearia, os tertulianos deram a sua opinião sobre o que viram ao longo dos dez dias das Festas em Honra do Senhor Jesus da Piedade e da Feira de São Mateus. Nada ficou por falar, e como sempre de forma aberta, frontal e construtiva. O tema deu para uma conversa longa, apresentada em duas partes, que esperemos sirva para que as duas entidades organizadoras da maior romaria do Sul do País, ouçam de uma vez a sociedade civil.

Caso queira participar, pode dar a sua opinião através do blogue Três Paixões, ou pelas redes sociais (FacebookGoogle+Twitter, ou YouTube).
Se não quiserem comentar ou lançar novas ideias, partilhem o vídeo para que muitos mais nos possam ver. Interajam connosco, partilhem os vossos pensamentos, comentem o que dizemos mesmo discordando, para que as Conversas de Barbearia sejam feitas não só tertulianos, mas também por quem nos vê/ouve. Insistimos pois quantos mais formos, mais longe chegamos, mais forte se torna a voz dos que realmente importam, o cidadão comum.

Scottish
Uma Paixão, uma opinião pessoal

segunda-feira, 1 de outubro de 2018

Câmara corta estacionamento no Centro Histórico

Acabou mais uma edição do São Mateus, e o balanço será devidamente feito na próxima Conversa de Barbearia. O assunto que me "atirou" para o teclado é outro e vai sem dúvida alterar de forma profunda o Centro Histórico. A Câmara Municipal de Elvas lançou o Projecto de Regulamento Municipal de Zonas de Estacionamento, que até dia 1 de Outubro está em fase de "discussão pública para recolha de opiniões e sugestões de residentes e não só". Depois desta data o documento será submetido a aprovação em Assembleia Municipal.

Depois de analisar o Regulamento e o mapa onde se pode visualizar com maior precisão as profundas alterações a serem implementadas, podemos concluir que irão ser "cortados" cerca de três centenas de lugares. Sim, leram bem, vamos ter menos trezentos lugares para estacionar no Centro Histórico. Logicamente que foram procuradas alternativas para os residentes, os principais prejudicados, mas na minha opinião insuficientes e que de certo irão trazer muita discussão.

Segundo o Presidente da CME Nuno Mocinha, o objectivo é "devolver o espaço público às pessoas, para além da melhoria da circulação e estacionamento automóvel no Centro Histórico". Não tenho dúvidas que a circulação vai ser mais fluída, especialmente em algumas artérias onde realmente era complicado passar de carro pelo estacionamento. Mas será necessário um corte tão grande? A partir do momento que o Projecto seja aprovado na AM, a corrida para um lugar perto de casa ou do trabalho vai ser feroz.

Vamos colocar um exemplo. Um morador da Rua de Brás Coelho, que habitualmente estacionava o carro à porta de casa, onde pode deixar o carro? Contando que nas ruas circundantes os lugares estão preenchidos pelos moradores, ou tenta encontrar um dos poucos lugares no Largo de São Domingos ou vai para a Praça de Armas junto às Portas de Olivença, ou então opta pelo pagamento mensal no Parque Subterrâneo. Não vai ser nada fácil para os residentes aceitarem o novo Regulamento...

O mesmo vai acontecer para os comerciantes do Centro Histórico, pois os Clientes para poderem ir às compras têm de estacionar por vezes longe dos estabelecimentos comerciais. Dirão muitos que se é para estarem pouco tempo, podem e devem recorrer ao Parque Subterrâneo que é gratuito na primeira hora. Concordo, mas infelizmente assistimos todos os dias a pessoas que querem ir de carrinho até à porta de tudo onde vão. Se o podem fazer fora da Cidade, dentro vai ser impossível, e por isso pode haver perda de clientela para quem tem o negócio no Centro Histórico. A orografia da Cidade é uma condicionante para quem habitualmente gosta de fazer as suas compras, e se tiver de deixar o carro longe pior.

Este é um tema muito complicado de gerir. Entendo de certa forma o que pretende a Câmara Municipal, mas havendo perda de clientes pelos comerciantes, juntando o facto do turismo estar a ser muito mal tratado, assunto que fica para depois, ou que aos poucos o Centro Histórico se esvazie (mais) de pessoas, este poderá ser mais um motivo para se continuar a ouvir que a Cidade está morta. Se de manhã ainda se vê algum movimento, de tarde podemos dizer que mais parece um monte. Sei que sobre isto muito há a dizer, mas voltando ao tema do novo Regulamento de Estacionamento do Centro Histórico, podemos dizer que não vai agradar a quase ninguém.

Em anexo têm a Planta de Localização do Estacionamento e o Projecto de Regulamento para consulta. Ainda têm o dia de hoje para mandarem um email à CME com sugestões sobre este tema, e pode ser dirigido para geral@cm-elvas.pt, com o assunto Regulamento das Zonas de Estacionamento. Parece-me que poucas alterações vão ser feitas e que as decisões estão tomadas. Enquanto não se façam mais parques subterrâneos e para isso temos de tratar melhor o turismo, penso que a solução está longe de ser encontrada.

Voltaremos a falar sobre o estacionamento...

Scottish
Uma Paixão, uma opinião pessoal

sexta-feira, 3 de agosto de 2018

Conversas de Barbearia #41 - "Actualização sobre Elvas" (3ª parte)


Terceira e última parte desta edição, onde os tertulianos falaram de várias coisas. Mais dos comerciantes, a Eurocidade, passeios turísticos, passeios nocturnos, o Ialbax, a Associação Empresarial de Elvas, livros sobre a Cidade Património do Mundo, a Diáspora Elvense que mesmo longe mostra trabalho... E muito mais há para falar, mas efectivamente a edição termina por aqui. "Actualização sobre Elvas" juntou vários assuntos que proporcionaram mais uma Conversa de Barbearia. Nós falámos, debatemos, lançámos ideias para o futuro. E vocês?

Caso queira participar, pode dar a sua opinião através do blogue Três Paixões, ou pelas redes sociais (FacebookGoogle+Twitter, ou YouTube).
Se não quiserem comentar ou lançar novas ideias, partilhem o vídeo para que muitos mais nos possam ver. Interajam connosco, partilhem os vossos pensamentos, comentem o que dizemos mesmo discordando, para que as Conversas de Barbearia sejam feitas não só pelos tertulianos, mas também por quem nos vê/ouve. Insistimos pois quantos mais formos, mais longe chegamos, mais forte se torna a voz dos que realmente importam, o cidadão comum.

Scottish
Uma Paixão, uma opinião pessoal

quinta-feira, 2 de agosto de 2018

Conversas de Barbearia #41 - "Actualização sobre Elvas" (2ª parte)


E continuamos a conversar sobre Elvas! O não aproveitamento económico do turismo, os monumentos fechados, o haver menos turistas, a falta de estratégia, os comerciantes desligados, o Festival Medieval... Sim, continuamos a debater a situação actual da Cidade Património do Mundo. Não perca!
Ah... E ainda não fechámos a 41ª edição das Conversas de Barbearia. "Actualização sobre Elvas" tem uma 3ª parte.

Caso queira participar, pode dar a sua opinião através do blogue Três Paixões, ou pelas redes sociais (FacebookGoogle+Twitter, ou YouTube).
Se não quiserem comentar ou lançar novas ideias, partilhem o vídeo para que muitos mais nos possam ver. Interajam connosco, partilhem os vossos pensamentos, comentem o que dizemos mesmo discordando, para que as Conversas de Barbearia sejam feitas não só pelos tertulianos, mas também por quem nos vê/ouve. Insistimos pois quantos mais formos, mais longe chegamos, mais forte se torna a voz dos que realmente importam, o cidadão comum.

Scottish
Uma Paixão, uma opinião pessoal

segunda-feira, 30 de julho de 2018

Conversas de Barbearia #41 - "Actualização sobre Elvas" (1ª parte)


Como já viram na foto publicada na página de Facebook, as Conversas de Barbearia estão de regresso. Por diversos motivos não nos foi possível estar juntos para gravarmos, mas podem estar descansados que a nossa tertúlia está de boa saúde.
Como passou bastante tempo, decidimos fazer uma actualização sobre o que se passa em Elvas. E depois de tanto tempo sem "dar à língua", a 41ª edição das Conversas de Barbearia saiu... grande! Para variar...
Começamos com a recente decisão de mais um vereador a tempo inteiro. Sérgio Ventura, até aqui vereador sem pelouros do Movimento Cívico por Elvas, foram-lhe atribuídos os pelouros de urbanismo, modernização administrativa e acolhimento empresarial. Os tertulianos debateram sobre esta decisão, que envolve muito mais...
Amanhã a segunda parte de "Actualização sobre Elvas".

Caso queira participar, pode dar a sua opinião através do blogue Três Paixões, ou pelas redes sociais (FacebookGoogle+Twitter, ou YouTube).
Se não quiserem comentar ou lançar novas ideias, partilhem o vídeo para que muitos mais nos possam ver. Interajam connosco, partilhem os vossos pensamentos, comentem o que dizemos mesmo discordando, para que as Conversas de Barbearia sejam feitas não só pelos tertulianos, mas também por quem nos vê/ouve. Insistimos pois quantos mais formos, mais longe chegamos, mais forte se torna a voz dos que realmente importam, o cidadão comum.

Scottish
Uma Paixão, uma opinião pessoal