segunda-feira, 31 de maio de 2010

Não foi possível!!!

Foi uma pena, mas o SCC foi derrotado na Final da Taça do Alentejo 2010 pelo Despertar de Beja por 79-72. Depois de uma grande vitória no sábado frente ao Salesianos de Évora num excelente jogo de basquetebol, ontem os vencedores da Taça 2009 voltaram a demonstrar superioridade e justamente reconquistam o troféu.

Na manhã de sábado Portalegre teve oportunidade de ver alguma magia do minibasquetebol, com a presença de infelizmente poucas equipas. Não sei o que se está a passar nos clubes do nosso Alentejo, mas vão sendo cada vez mais notórias as ausências de minis nos convívios. Temos de pensar que sem minibasquetebol não haverá possibilidade de surgirem os seguintes escalões. Naquele que deveria ser a grande festa alentejana do basquetebol, apenas o Clube Elvense de Natação, o Campomaiorense, o Salesianos de Évora e o Portalegre BC marcaram presença.
Não fosse o CEN participar com 18 atletas e o convívio teria sido em desastre...

À tarde o prato forte do Fesbasket 2010, as meias-finais da Taça do Alentejo 2010. Na primeira decisão Despertar de Beja e Atlético de Reguengos realizaram uma bela partida, com a vitória a cair só no fim para a equipa da capital do Baixo Alentejo.
Muitos pontos marcados pelos dois conjuntos, mostrando "mão quente" e revelando que os ataques superavam com facilidade as defesas. A maior experiência dos de Beja conduziu à vitória no jogo, e a lógica imperou pois os bejenses são um conjunto mais "rodado" pela sua participação no CNB2.

De seguida a partida mais aguardada por este Humilde Observador. Salesianos de Évora defrontava o SCC, e o favoritismo dos eborenses pela excelente campanha no CNB2, com a possibilidade real de ainda conseguirem a subida de divisão, fazia prever grandes dificuldades para os de Campo Maior. Para surpresa de todos os "galgos" lideraram quase sempre o marcador, mas por margens curtas, denotando uma grande motivação dos de Campo Maior e um cuidado especial do Salesianos face ao adversário bem conhecido pelo técnico Gil Porto.

O jogo foi muito equilibrado de princípio a fim, e qualquer erro poderia ditar sentença. Com empate a 84 pontos a última posse de bola pertenceu ao Salesianos, mas a agressividade da defesa campomaiorense não permitiu a penetração desejada e a bola acabou por ficar em Ricardo Gaocho, que com 3 segundos ainda tratou de lançar mas foi tocado por um adversário. O árbitro assinalou a falta com o cronómetro a zero e o Gao tinha apenas de marcar um dos três lances-livres que dispunha. Concretizou dois e assim carimbou a passagem à final do SCC por 84-86.
Na verdade qualquer um que vencesse era justo, pois o equilíbrio foi quase total com um ligeiro ascendente dos comandados de Tiago Oliveira. A surpresa da Taça estava consumada.

No domingo o Salesianos venceu com facilidade o Atlético de Reguengos por um claro 66-96. Mas devemos dizer que os de Évora ainda tiveram um susto, pois permitiram que o adversário conseguisse uma vantagem a rondar os 20 pontos. No entanto a segunda parte do Salesianos foi de grande pressão e rapidamente recuperou a desvantagem, construindo um resultado que não oferece dúvidas da sua superioridade. Deve-se dizer que foi a "falta de pernas" dos jogadores do Reguengos que não permitiram repetir a boa exibição do primeiro dia.

A final entre o Despertar de Beja e o SCC inicialmente de todo inesperada, previa-se de grande equilíbrio. O Despertar desde o início comandou as operações, acertados no lançamento exterior e contando com a entrada fria do SCC. Quase quatro largos minutos demoraram os "galgos" a marcarem o primeiro ponto, revelando muita ansiedade e pouco acerto. A equipa não esteve tão concentrada como no dia anterior, jogou mais por iniciativas individuais, prejudicando claramente o ataque organizado da véspera. Os bases Luís Barreira e Carlos Oliveira estiveram demasiado nervosos para lideraram os ataques do SCC, e o técnico Tiago Oliveira teve de recorrer à maior frieza e controlo do jogo do Tiago Pires. Com isso conseguiram que o Despertar não se distanciasse mais, mas houve dificuldades no ataque pelo receio de vários jogadores em tomarem a iniciativa de lançar.

O desgaste do jogo anterior foi notório em atletas fundamentais no SCC, como o extremo Pedro Carranca ou os postes Orlando Milhano e Radu Spînache, e por muito que a vontade de vencer fosse grande, o discernimento não foi o melhor. A isto devemos recordar a fraca percentagem de concretização na linha de lance-livre, e o mais perto que conseguiram estar dos de Beja foi a 3 pontos já na parte final.

No lado do Despertar a "mão quente" do extremo Caramba foi determinante na justa vitória final. Penso que apenas errou um lance-livre dos muitos que marcou, assumindo claramente o comando do jogo da sua equipa provocando sucessivas faltas para travar a tentativa final de recuperação do SCC.
Ao longo do jogo os de Beja foram uma equipa com as ideias mais claras, com maior índice de concentração e a Taça volta a ir para o Baixo Alentejo.

Parabéns ao Despertar pela vitória, e ao SCC que demonstrou ter uma equipa competitiva apesar de nesta época ter apenas jogado a nível regional.

Boas férias a todos e para o ano queremos mais e melhor!

Scottish
Uma Paixão, uma opinião pessoal

sábado, 29 de maio de 2010

Tempo de Magia (#17)

A Magia desta semana vem com o homem que elevou o jogo a um nível diferente na interpretação do "ataque" ao cesto. Julius Erving, mais conhecido por Doctor J, foi o primeiro grande "dunker" do basquetebol. A facilidade como afundava era espantosa, e se a isto juntamos as enormes mãos que apanhavam a bola como se fosse uma de andebol, tudo fica mais fácil para marcar jogadas incríveis.

Foi escolhido na 12ª posição do draft em 1972 pelos Milwaukee Bucks, tendo sido trespassado para os New York Nets no ano seguinte. Isto tudo se passava na ABA, e só em 1976 os Nets passaram para a actual NBA. Nesse mesmo ano Dr.J foi para os Philadelphia 76'ers onde em 1983 venceu o único título da NBA no seu palmarés. Foi MVP da Liga em 1981, 11 vezes All-Star sendo MVP em duas ocasiões (1977, 1983), passou a integrar o Hall of Fame em 1993 e é considerado um dos 50 melhores jogadores de sempre desde 1996.
O número #6 e o #32 foram retirados pelos Sixers e pelos Nets respectivamente em honra a Julius Erving.

Pessoa muito respeitada por todos, de grandes valores e um enorme jogador de basquetebol. Vejam o video que para muitos será recordar bons momentos!



Scottish
Uma Paixão, um Tempo de Magia

sexta-feira, 28 de maio de 2010

Fesbasket Alentejo 2010

Amanhã e domingo vamos ter em Portalegre a edição deste ano do Fesbasket Alentejo. É desta forma que a Associação de Basquetebol da nossa região encerra a época desportiva, tendo como prato forte a Final-Four da Taça do Alentejo.

Durante a manhã de sábado vamos ter o convívio de minis, onde o CEN é o SCC estarão presentes. À tarde temos as meias-finais da Taça, com Despertar de Beja e Atlético de Reguengos a iniciarem a conquista de um lugar na final às 15 horas. Depois o jogo mais esperado entre o Salesianos de Évora e o SCC. Os de Campo Maior contam há vários anos com jogadores portalegrenses, e o facto de poderem disputar a prova mais importante do Alentejo na sua cidade natal, fará com que a motivação seja maior.

Este ano o SCC não marcou presença no Campeonato Nacional de Basquetebol 2, ao contrário do Salesianos, cuja época tem sido muito boa conseguindo o apuramento para a segunda fase, a de acesso ao CNB1. Mas os jogos entre as duas equipas são sinónimo de equilíbrio e incerteza quanto ao resultado final, havendo motivos de interesse para ver o jogo no pavilhão. Logicamente o meu apoio vai por inteiro para o SCC, e espero que a equipa liderada pelo amigo Tiago Oliveira consiga chegar à final de domingo. Lá estarei para ver isso rapazes!!

Convido os amantes da modalidade a darem um saltinho a Portalegre e verem o melhor cartaz de basquetebol do nosso Alentejo.

Bom fim-de-semana!

Scottish
Uma Paixão, uma opinião pessoal

quinta-feira, 27 de maio de 2010

Câmara com novos horários

Entre 31 de Maio e 3 de Setembro a Câmara Municipal de Elvas irá ter um novo horário de funcionamento. Pensando em especial no aproveitamento da pausa de almoço e tratando de evitar as horas de calor mais intenso, a edilidade decidiu avançar com um horário contínuo.

Os serviços do edifício da Rua Isabel Maria Picão irão estar disponíveis entre as 9 horas da manhã e as 15 horas. O mesmo acontecerá com os funcionários administrativos da Abegoaria, mas o pessoal operacional terá um outro horário, das 7 horas da manhã às 13 horas, tratando que o calor intenso que se aproxima não condicione o trabalho na rua.

Os restantes serviços, ou seja o Turismo, a Casa da Cultura, o Centro da Juventude, o Gabinete de Apoio ao Empresário, a Biblioteca, os museus e todas as instalações desportivas, irão manter os mesmos horários.

(fonte site Linhas de Elvas)

Sinceramente penso que foi uma boa decisão por parte da CME, indo ao encontro de outras autarquias que já trabalham com horário continuo. Está mais de acordo com as necessidades dos munícipes, pois assim podemos dirigir-nos aos serviços camarários sem ter de interromper o nosso trabalho. A medida está pensada apenas para o Verão, mas penso que a curto prazo será o horário mais correcto para os serviços municipais.

Scottish
Uma Paixão, uma opinião pessoal

quarta-feira, 26 de maio de 2010

Sereno certo no FC Porto

O segredo a gritos já por várias vezes comentado por este Humilde Observador, parece que aos poucos começa a ser uma realidade. O jornal O JOGO revelou na edição de ontem que Henrique Sereno será jogador do FC Porto já para a próxima época.

Na notícia que podemos ler no site do jornal, há mesmo certezas na contratação do central elvense que representou até há duas semanas o Valhadolid. Tem alguma lógica que o clube do Dragão se interesse pelo Henrique, pois é mais que certa a saída de Bruno Alves, jogador que tem revelado com alguma insistência ter terminado o ciclo nos "azuis-e-brancos", pretendendo relançar a sua carreira noutras paragens.

Desde Janeiro que se vem falando da possilidade do primaço rumar para a Invicta, e agora parece que será uma realidade. Fico satisfeito por ver um familiar num clube de grande dimensão, pena tenho que não seja no meu Sporting...

Scottish
Uma Paixão, uma opinião pessoal

segunda-feira, 24 de maio de 2010

Um clássico na Final da Liga de Basquetebol


SL Benfica e FC Porto irão discutir o título nacional de basquetebol. A superioridade dos "encarnados" ao longo de toda a época foi enorme, mas os "azuis-e-brancos" evoluiram muito e são uns justos vencedores. Nas meias-finals o Benfica derrotou por 3-0 o Vitória de Guimarães, enquanto o Porto bateu sem apelo nem agravo a Ovarense, uma das equipas candidatas ao título, igualmente por 3-0.

Quem irá vencer? Serão as "águias" que contam com vantagem de campo? Serão os "dragões" que farão a surpresa? Que o Basquetebol seja o grande vencedor deste clássico português.

Scottish
Uma Paixão, uma opinião pessoal

quarta-feira, 19 de maio de 2010

A preparar a nova época de basquetebol...

Sei que tenho andado um pouco arredado da escrita, mas neste momento urge preparar convenientemente a próxima época basquetebolistica. Quer a minha equipa de Sub-14 no SCC, quer a planificação do CEN tem-me roubado o tempo que normalmente tenho para promover a minha paixão pela escrita.

Sei que os assíduos leitores desta casa entendem a situação e prometo que ainda esta semana volto à normalidade no Três Paixões.

Esta noite aconselho uma ida ao Rossio de São Francisco para assistir ao concerto dos 2U. São muito bons a tocar músicas da minha banda de eleição, os U2, e tenho a certeza que ficarão satisfeitos com o tributo. Sei que para quem trabalha no dia seguinte é complicado, já que o horário não é muito convidativo, mas vale a pena o esforço de dormir menos horas do habitual.

Scottish
Uma Paixão, uma opinião pessoal

sábado, 15 de maio de 2010

Tempo de Magia (#16)

Continuando a recordar grandes nomes que fizeram do "showtime" algo único, hoje o post é dedicado a um jogador fundamental na década de 80 dos Lakers.

Michael Jerome Cooper era a defesa no seu estado puro. Magro (77 kgs com 1,96m) mas ao mesmo tempo tinha uns ossos muito duros. Era uma verdadeira dor de cabeça para os melhores atacantes adversários. O mítico Larry Bird considera "Coop" o melhor defesa que jamais enfrentou, e com razão.

O camisola #21 dos Lakers surgia de onde nunca se esperava para "abafar", ajudando sempre os seus companheiros na dura tarefa de defender, e ajudava a desenvolver a mais bela arma no ataque de sempre, o contra-ataque dos Lakers da década de 80. Ele afundava com contundência e à medida que os anos passavam melhorou consideravelmente o seu lançamento de 3 pontos. Por esse motivo terminou a sua carreira profissional com umas médias interessantes para quem tinha sido seleccionado no draft de 78 na 60ª posição (3ª ronda). 8,9 pontos por jogo com 4,2 assistências, 3,2 ressaltos, 1,2 roubos de bola e 0,6 "abafos", são números interessantes para quem jogava de 6º homem. Foi sempre o primeiro a saltar do banco, era ele o escolhido para alterar o ritmo do jogo, colocando intensidade defensiva como ninguém.

Não surpreende que tenha sido eleito Melhor Defensor do Ano 1987, ao qual juntou o quarto dos cinco anéis de campeão que Michael Cooper conquistou (80, 82, 85, 87 e 88). Fez toda a sua carreira profissional como jogador NBA nos Lakers, fechando a sua aventura em 90/91 no Pallacanestro Virtus Roma, numa altura em que os italianos pagavam muito dinheiro por estrelas da NBA.

Do campo passou para o banco. Durante três épocas foi Special Assistant de Jerry West nos Lakers, passando verdadeiramente para o treino em 94 como adjunto de Del Harris. Em 99 rumou para a equipa feminina de LA, as Sparks, e em 2000 foi escolhido para técnico principal, conduzindo a equipa à maior evolução registada num ano, sendo mesmo nomeado Coach of the Year (Treinador do Ano). No ano seguinte aconteceu o esperado, vencer o campeonato, repetindo título em 2002. No ano seguinte voltou a chegar à final, mas foi derrotado pelas Detroit Shock.

Em 2004 as Sacramento Monarchs da nossa Ticha Penicheiro eliminaram as LA Sparks na primeira ronda dos playoffs e Cooper aceitou o cargo de adjunto de Jeff Bzdelik nos Denver Nuggets. Após 24 jogos o técnico foi despedido e "Coop" passou a principal durante um mês, até que contrataram George Karl.
Em 2006 rumou à D-League para orientar os Albuquerque Thunderbirds durante duas épocas, regressando depois às LA Sparks.
Em Maio de 2009 aceitou o cargo de Head Coach da equipa feminina da University of Southern California, posto que mantém até hoje.

Foi um jogador especial, muito querido pelo público do Forum de Inglewood, que quando ele entrava entoavam o cantico de "Cooopp, Cooopp, Coopp", ou então quando finalizava um "alley-oop" o grito de "Coop-a-loop" era ensurdecedor.
Eu fui um dos privilegiados por ter visto Michael Cooper jogar, e hoje podem ver se não tenho razão.

sexta-feira, 14 de maio de 2010

Tertúlia da Semana (#12)

Na passada terça-feira dia 11 foi lida a sentença a Cristiano Nunes, o brasileiro de 37 anos que esfaqueou até à morte António Gago em pleno Centro Histórico elvense, mais concretamente na Rua de Chilões. O crime deveu-se a motivos passionais e o Tribunal Judicial de Elvas condenou o arguido em 16 anos e 6 meses de prisão.

Não sendo conhecedor se a pena aplicada é a máxima, o que me parece é que Cristiano Nunes verá a luz do dia bem antes do que decidiu o Tribunal. Creio que as penas por homicídio não deveriam ter atenuantes, e que o bom comportamento não poderia conduzir à redução da pena.

Todos já tivemos oportunidade de lermos, vermos ou ouvirmos notícias de reduções de penas por bom comportamento, e que provavelmente este seja mais um caso daqui a alguns anos.

Deveriam estas reduções não ser aplicadas em crimes de homicídio? Eu penso que não, mas qual a vossa opinião?

Digam de vossa justiça. Bom fim-de-semana a todos.

(fonte site Linhas de Elvas)

Scottish
Uma Paixão, uma tertúlia semanal

quinta-feira, 13 de maio de 2010

Aumento de impostos...

Hoje o post tem características nacionais, pois vamos falar das novas medidas de austeridade decretadas pelo Governo de Sócrates. Depois de nos dizer que Portugal tinha sido o campeão europeu em crescimento económico no primeiro trimestre do ano, depois ficámos a saber que vamos ter aumento de impostos.

Eram de esperar pois os 8,5% de défice pediam alterações importantes para reduzir uma taxa que estava a ser pressionada pela União Europeia. Espanha, outro dos membros em grande dificuldade, teve ontem a notícia de alterações que provavelmente irão dar muito que falar. O corte de 5% nos vencimentos aos funcionários públicos não caiu bem e já se prevêem greves e manifestações de repúdio. Menos complicada e totalmente aceite por todos, foi a redução em 15% dos vencimentos dos membros do Governo. Também eliminou o “cheque-bebé”, no valor de 2.500€ por cada nascimento a partir de 2011, que visava o aumento da natalidade.

Por cá o Governo do Engº José Sócrates decidiu aumentar as taxas de IVA em 1% (taxa reduzida passa de 5 para 6%, a intermédia de 12 para 13% e a normal de 20 para 21%), o IRS também vai sofrer um incremento da taxa em 1% para os vencimentos até 2.375€ (cinco salários mínimos nacionais), e de 1,5% para rendimentos superiores. Apenas os que auferem o salário mínimo nacional não irão ver alteradas a taxa de IRS.
Mas não serão apenas os trabalhadores a “ajudarem” na redução do défice, que se pretende seja de 7% no final de 2010, mas também as grandes empresas e os bancos irão contribuir, com a implementação de uma taxa extraordinária no IRC de 2,5%.

Outra medida que nos deixa satisfeitos é o corte salarial de 5% aos políticos, gestores de empresas públicas e líderes das entidades reguladoras, numa poupança calculada em 341 mil euros até ao final do ano. Ontem os media tinham-nos informado que o PSD aceitava o aumento dos impostos sempre que se cortassem os vencimentos dos governantes em 2,9%. Hoje sabemos que serão 5%, taxa que muitos considerarão curta para quem aufere muito, e pouco tem feito para evitar estas catástrofes financeiras que tanto prejudicam especialmente o Povo.

Estas medidas irão sofrer críticas de todos os lados. Os pequenos comerciantes e empresários dizem que assim o consumo irá ser menor. Se já era mau agora será pior, pois com os vencimentos reduzidos pelo aumento de IRS, irá diminuir a capacidade de consumo dos portugueses.

Também haverá cortes nas indemnizações compensatórias às empresas públicas em 150 milhões de euros, e as autarquias verão reduzidas as transferências em 100 milhões de euros (3,8%). No total o Governo pretende garantir um aumento da receita em 1000 milhões de euros, e a despesa reduzida em 1100 milhões de euros.

Até onde iremos ter de apertar o cinto…

Scottish
Uma Paixão, uma opinião pessoal

quarta-feira, 12 de maio de 2010

Junta de Freguesia acusada de gestão danosa pelo MUDE

O núcleo duro da coligação MUDE (Mudança para Desenvolver Elvas), convocou uma conferência de imprensa para falar de dois assuntos que consideram importantes na vida partidária. O vereador António Simão das Dores e os deputados municipais Francisco Vieira e Tiago Abreu falaram sobre o congelamento das rendas de habitação social e a conta de Gerência e Relatório de Actividades da Junta de Freguesia de Ajuda, Salvador e Santo Ildefonso.

Sobre o primeiro tema António Simão das Dores considera que “em fase de silêncio do executivo PS, os munícipes interessados movimentaram-se através de um abaixo-assinado, não tendo a Câmara Municipal outro remédio que não fosse a marcação de uma reunião com os arrendatários dos prédios de habitação social da Boa-Fé”.

No segundo ponto em causa está, segundo a coligação, uma "gestão danosa" na Junta de Freguesia de Ajuda, Salvador e Santo Ildefonso, liderada pelo socialista Manuel Passareiro Remédios. Numa sessão da Assembleia Municipal e analisando a conta de Gerência e Relatório de Actividades, “ficou provado que o Presidente, o Tesoureiro e o Secretário utilizam um telemóvel cada um, fornecidos pela Junta, cuja despesa no ano de 2009 totalizou 2.203,69€”, conforme afirmou Francisco Vieira.
Na referida conta “existem despesas incompreensíveis e um buraco com uma grande dimensão”. O deputado municipal solicitou o extracto da única conta bancária da Junta de Freguesia de Ajuda, Salvador e Santo Ildefonso no decurso da semana passada, para conferência do saldo a 31 de Dezembro de 2009, mas o pedido até agora não foi satisfeito. Segundo Francisco Vieira “o saldo contabilístico no valor de 46.096,57 €, como é óbvio, não confere com o saldo da conta bancária”.

No entanto a coligação MUDE não assume a existência de desfalque, ressalvando que deixa ao critério de cada um os temas expostos. No entanto vai participar à Inspecção-Geral da Administração Local (IGAL) e ao Ministério Publico para que se proceda a uma investigação às contas e gestão da referida Junta de Freguesia.

(fontes sites Rádio Elvas e Linhas de Elvas, foto Linhas de Elvas)

Temas quentes, em especial o relacionado com a Junta de Freguesia de Ajuda, Salvador e Santo Ildefonso. Em causa está a gestão do Presidente Manuel Passareiro Remédios, e a ser verdade o valor da despesa de telemóvel em 2009 é grave, pois dividindo a soma por três e depois por doze meses, dá um valor de 61,22 euros/mês, sem dúvida uma importância considerável para a gestão de uma junta de freguesia.
Na minha opinião não há necessidade de recorrer a três telemóveis pessoais, quanto muito o Presidente poderá necessitar, pois dos três elementos é o mais solicitado para intervir na gestão da Junta.

Também me deixa preocupado e a ser verdade, o facto de o saldo da conta bancária e a contabilidade não terem o mesmo valor. Francisco Vieira refere que o saldo contabilístico "como é óbvio" não confere com o saldo da conta bancária. Fico com a dúvida de como o deputado municipal pode afirmar que é óbvia a diferença, se pediu o saldo da conta bancária à Junta e até agora o seu pedido não foi satisfeito.
Creio que neste momento se torna necessária uma resposta do presidente Manuel Passareiro Remédios às declarações dos responsáveis da coligação MUDE. Isto para que haja transparência nas contas públicas e que as dúvidas levantadas nesta conferência de imprensa sejam devidamente esclarecidas.

Depois de termos a boa notícia de Elvas ser o quarto município português em eficiência financeira dos 20 melhores de media dimensão, este assunto será uma mancha importante que fará correr muita tinta. Espero que a lealdade e a sinceridade da classe política municipal esclareça os elvenses sobre este assunto, sem qualquer sintoma de que defendem exclusivamente a sua cor partidária.
Cada vez mais se sente o descrédito da classe política, que tem afundado os portugueses num poço que não sabemos se algum dia conseguiremos sair. Agora que se fala em aumentar os impostos, que os funcionários públicos não irão ter aumentos nos próximos tempos, agravado com o possível corte do subsidio de natal deste ano, são decisões duras como forma de melhorar as nossas finanças face ao euro.

É por isso o povo se sente roubado, injustiçado e saturado de tantas asneiras feitas pela simples conquista do poder, vulgarmente conhecido pela "busca de poleiro".
Mais vale que olhem para os ordenados chorudos e para as reformas monumentais que todos os meses o estado paga, melhor dizendo, nós pagamos. Mais vale que olhem para os lucros dos bancos que vão fazendo o que querem sendo eles uns dos principais responsáveis pela crise. É por tudo isto que se acredita cada vez menos nos políticos, sendo sempre o Zé Povinho a pagar para que alguns vivam como verdadeiros reis.

Políticos de Juntas de Freguesia, de Câmaras Municipais, do Governo, de todas as instituições e empresas estatais, de toda a oposição, tenham dois dedos de testa e parem de utilizar o dinheiro de todos nós para benefício próprio e não em prol do país.
JÁ CHEGA POIS UM DIA A CORDA PARTE-SE DE TANTO ESTICAR!!!!

Scottish
Uma Paixão, uma opinião pessoal

terça-feira, 11 de maio de 2010

Regal Barcelona "rei" da Europa

Um brilhante e sensacional Regal Barcelona venceu com toda a justiça a Euroliga 2009/2010. Esta foi uma das vezes em que os favoritos cumpriram na íntegra o seu papel, numa demonstração de grande superioridade face aos seus rivais, ao nível do que tem acontecido durante a época.

A equipa “blaugrana” bateu vários records na conquista da sua segunda Euroliga (a primeira foi em 2003), como o prémio de melhor jogador da F4 a ir merecidamente para Juan Carlos Navarro. Foi a primeira vez que um espanhol venceu este prémio individual, mas os seus números impressionam. 21 pontos marcados numa final não é para todos, tendo sido determinante para que o seu clube vencesse. Foi ele quem carregou com a responsabilidade de reagir à recuperação encetada pelo Olympiacos no regresso dos balneários. Jogadas de 1x1 sensacionais que colocaram os gregos à beira de um ataque de nervos, triplos em momentos cruciais, demonstração de liderança em campo, tudo isto levou ao grito de “MVP, MVP” no final pela bancada “blaugrana”.

Outro record foi para o técnico Xavi Pascual, o mais jovem a conquistar a Euroliga com 37 anos. Brilhante o trabalho deste treinador da casa, que conseguiu criar um espírito de grupo, uma capacidade de jogo colectivo digno de registar e de ser analisada em clinics de treinadores. A sua equipa defende como ninguém, não dá um palmo de terreno ao adversário, as trocas defensivas são rapidíssimas e o jogador com bola está sempre pressionado. A isto juntamos a enorme envergadura de vários jogadores que garantem muitos ressaltos defensivos, com passes rápidos para a saída do contra-ataque mais letal da Europa.
Em ataque a diversidade de opções é enorme. Se é para lançar de fora, Navarro é a principal arma, mas Basile, Ricky Rubio, Victor Sasa, Jaka Lakovic, ou os “altos” Pete Mickeal e Erazem Lorbek garantem boas percentagens de efectividade. Perto do cesto o Regal Barcelona tem verdadeiros “monstros” pela sua enorme altura e envergadura. O senegalês Boniface N’Dong ou o espanhol Fran Vazquez dão continuidade às penetrações dos seus bases com afundanços em “alley-oops” de fazer empolgar as bancadas. A estes juntamos Terence Morris, um seguro de vida tanto em defesa como em ataque, fazendo as delícias dos adeptos com as suas penetrações que acabam em “afundanços”. De destacar que Morris vence a terceira Euroliga consecutiva por três clubes diferentes (Maccabi 2008, CSKA 2009, Regal Barcelona 2010).

Um jogo muito fluído em ataque, uma defesa quase insuperável, e uma rotação de banco de fazer inveja são em resumo o que é o Regal Barcelona, um justíssimo campeão europeu pois é neste momento a melhor equipa do Velho Continente. Se no futebol o emblema “blaugrana” tem conquistado tudo o que há para vencer, em nada invejam a sua equipa de basquetebol. Não surpreendeu por isso que jogadores da equipa de futebol tivessem marcado presença no Omnisport de Paris-Bercy, como Puyol, Bojan, Xavi, Piqué e Busquets, vibrando com a sua equipa.

Regal Barcelona – 86
Olympiacos – 68

Vencer uma final por 18 pontos com uma demonstração de superioridade tão grande, só mesmo para grandes equipas. Arrancaram muito bem os dois conjuntos, com os ataques a mostrarem grande efectividade, o que surpreendeu aqueles que pensam numa final há medo de errar. O 28-19 do primeiro parcial demonstra a desinibição dos jogadores, algo que os amantes da modalidade agradecem, pois vimos espectáculo. Os gregos contaram com a grande prestação no primeiro quarto de Milos Teodosic. Averbou 7 pontos, mas um vírus estomacal impediu o base sérvio de dar maior contributo à equipa. Do lado “blaugrana” surge a qualidade da peça mais fundamental na engrenagem da equipa, o americano Pete Mickael. Foram seus 10 pontos no primeiro período, mostrando ao técnico Panaggiotis Giannakis que havia mais jogadores do que Navarro com que se preocupar.
No segundo quarto mais do mesmo, com o Regal Barcelona a vencer o parcial por 19-17, havendo um ligeiro equilíbrio de forças na parte final da etapa inicial, muito por culpa do enorme empenho de Teodosic e do apoio incondicional dos fanáticos gregos. As estrelas Josh Childress e Linas Kleiza não apareciam no jogo e só Bouroussis ajudava o base eleito melhor jogador da época na Euroliga. Ao intervalo o 47-36 revelava superioridade “blaugrana” mas o Olympiacos ganhou algum fôlego para a segunda parte, ao ver a desvantagem baixar para um digito de diferença (9).

No início da etapa complementar os gregos liderados agora pelo genial base Papaloukas, entraram dispostos a dar a volta ao marcador e ainda conseguiram aproximar-se dos espanhóis a uns superáveis 5 pontos (52-47 aos 26’). A pressão exercida pelo internacional grego aos árbitros ainda baralhou as suas decisões que permitiram muitos contactos faltosos na defesa do Olympiacos. No entanto um “afundanço” de N’Dong e um triplo de Victor Sada, que esteve bem melhor que Ricky Rubio na direcção da equipa, voltou a colocar o Regal Barcelona com uma diferença de mais de 10 pontos para não mais baixar. O terceiro período fechou com 17-14 para os “blaugrana” para um resultado de 64-50 que quase sentenciava a final.
Nos derradeiros 10 minutos os gregos tentaram aproximar-se no marcador, mas o Regal Barcelona esteve soberbo a defender e voltou a superar as duas dezenas de pontos marcados, com uma exibição estelar de Juan Carlos Navarro. Na parte final apareceu o americano Childress mas já era tarde para o Olympiacos poder encetar qualquer recuperação perante uma equipa que soube controlar o jogo e o resultado, chegando mesmo à máxima diferença de 18 pontos com o marcador final de 86-68.

CSKA – 90
Partizan – 88

No jogo para o terceiro e quarto posto, CSKA e Partizan proporcionaram um belo espectáculo de basquetebol. Foi necessário um prolongamento para a equipa de Moscovo levar de vencida a jovem equipa sérvia, que pela segunda vez na F4 obrigou o adversário a trabalho suplementar. O Olympiacos na meia-final necessitou de prolongamento para vergar a jovem equpa do Partizan, e o mesmo aconteceu ao CSKA. Não fosse a sensacional exibição de Trajan Langdon com 32 pontos marcados e os de Belgrado venceriam, pois como equipa mostraram maior solidez e intensidade, mas a experiência dos russos nos momentos cruciais ditou a vitória final. O americano do Partizan Bo McCalebb ainda tentou um lançamento de 3 pontos para vencer a partida, mas a bola não entrou e o terceiro lugar foi para o CSKA.

Foi uma Final Four espectacular, com muita emoção, muita qualidade de jogo, grandes jogadas e com um justíssimo vencedor.

Scottish
Uma paixão, uma opinião pessoal

domingo, 9 de maio de 2010

Remember the 80's (#11)

O video clip deste tema dos Dire Straits foi na sua época uma verdadeira revolução. Vale a pena rever!!!



Scottish
Uma paixão recordando os 80

sábado, 8 de maio de 2010

O nosso Bacalhau Dourado no Guiness Book


Hoje pelas 19 horas será servido o maior Bacalhau Dourado do Mundo. É nosso e por isso Elvas passará a integrar o conhecido livro dos records Guiness Book.
No ano passado o CNT foi palco da prova final para figurar no livro. Pretendiamos tornar um dos pratos mais conhecidos da cozinha elvense em algo mais significativo. Foi conseguido e hoje a prova passa a RECORD DO MUNDO!

Não podemos faltar a tão importante acontecimento, pois como diz o amigo Zé de Mello, TODOS SOMOS ELVAS.

Scottish
Uma Paixão por um record do Mundo

sexta-feira, 7 de maio de 2010

Paris sede da elite europeia do basquetebol


O dia D do basquetebol europeu chegou. Hoje em Paris arranca a Final Four da Euroliga masculina com duas meias-finais no mínimo escaldantes.

Tudo começa com aquela que é considerada a final antecipada, entre Regal Barcelona e CSKA de Moscovo. A equipa “blaugrana” é justamente considerada a favorita para a conquista da competição. Tem mostrado um poderio enorme, num colectivo de grandes individualidades mas que sabem jogar como uma equipa praticamente imbatível. Defensivamente são uma barreira quase intransponível e no ataque contam com grandes atiradores, casos de Navarro, Basile, Lakovic ou o jovem Ricky Rubio, que com 20 anos foi considerado o melhor jogador jovem da Euroliga.
Perto do cesto a presença de jogadores como Boniface N’Dong, Fran Vazquez ou Erazem Lorbek impõem respeito, elevada técnica invididual e capacidade física. A isto se lhe juntamos a polivalência de Pete Mikael ou Morris, ou a intensidade de Sada ou Grimau, temos a equipa perfeita para ganhar títulos sob o comando de Xavi Pascual.
O Barcelona conta com 11 presenças em F4 da Euroliga mas apenas por uma vez a venceu. Foi em 2003 e o único sobrevivente dessa conquista é precisamente Juan Carlos Navarro, o líder actual em pontuação da sua equipa com uma média de 13,9/jogo.

Pela frente vai ter um osso duro de roer. O CSKA, orientado por Pashutin, conta com jogadores muito experientes, habituados a disputar as F4 e que já venceram o troféu. O americano naturalizado russo John Holden gosta muito de derrotar equipas espanholas, tendo mesmo vencido o europeu pela Rússia frente à armada espanhola com um cesto no fim. O próprio Barcelona já sentiu o que é ser eliminado pelas mãos deste grande jogador, que marca a oitava presença consecutiva na F4. Ramunas Siskauskas é um extremo lituano que também no ano passado se tornou outro pesadelo para os “blaugrana”. Letal desde a linha de 3 pontos, e exímio no jogo de poste baixo, Siskauskas despachou o Barcelona no ano passado com 29 pontos marcados.
O técnico Pashutin foi o adjunto de Ettore Messina no CSKA, e muito terá aprendido do técnico italiano, agora no Real Madrid. A sua equipa não é de correr muito e tudo farão para evitar que o Barcelona o faça, pois são muito bons no contra-ataque.

Esta é a principal meia-final, mas a segunda também não é de pôr de lado. Partizan de Belgrado e Olympiakos de Atenas lutarão para chegar à final. Nenhum é considerado favorito à vitória final e isso pode ser uma arma a favor para o vencedor deste jogo. Não tendo o peso da responsabilidade podem desinibir-se e conseguirem surpreender.
O Partizan de Belgrado é para muitos o menos favorito para vencer a F4. É sem dúvida a melhor escola europeia da actualidade, pois todos os anos saem jogadores de qualidade da equipa, mas conseguem ser sempre competitivos com jogadores jovens mas com um futuro enorme. Já há mais uma estrela na calha, o extremo-poste checo de 20 anos e 2,10m Jan Vesely. Já o consideram o novo Toni Kukoc e essa é uma comparação “pesada” pela enorme qualidade do antigo internacional croata.
Acabaram de vencer a Liga Adriática no último segundo, com um triplo de meio-campo do extremo Kecman, mas os destaques vão para Alecsander Maric e o americano Lester McCalebb. No plantel têm quatro jogadores com mais de 2,10m, e um com 2,29m, sendo sem dúvida a equipa mais alta da F4, o que pode complicar a mais valia dos gregos. O Partizan também tem uma entusiasta legião de adeptos, que irão apoiar incondicionalmente a equipa. No banco a dirigir a orquestra sérvia está um técnico super credenciado, como é Dusko Vujosevic, que todos os anos tem de reconstruir a equipa, mas sempre com bons resultados.

Os gregos têm uma equipa que vale milhões e tudo farão para conquistar o ceptro europeu. No banco contam com o técnico Pannagiotis Giannakis, que já venceu uma F4 como jogador do rival Panathinaikos, e que apesar dos graves problemas económicos que vivem os gregos actualmente, vai tentar brindar os seus adeptos com uma vitória. Dispões de jogadores muito bons e caros como são os americanos Josh Childress e Linas Kleiza, este o melhor marcador da Euroliga. Na posição de base está um jogador sensacional como é Milos Teodosic, bem ajudado pelo grego Papaloukas, e na zona os kilos de Schortsanitis podem ser determinantes. Se a isto lhe juntarmos os fanáticos adeptos gregos que tudo farão para ver a sua equipa vencer, temos uma combinação no mínimo complicada de bater.

Prognósticos só no fim, mas vamos viver dois dias apaixonantes (6ª e domingo), com jogos recheados de bom basquetebol, e equipas que tudo farão para vencer o mais desejado troféu europeu.
Este Humilde Observador irá contar-vos o que se vai passar no enorme pavilhão de Paris-Bercy durante este fim-de-semana. Que vença o melhor!

Scottish
Uma Paixão, uma opinião pessoal

quinta-feira, 6 de maio de 2010

Pai babado!!!


A primeira imagem do terceiro membro da família, que conta com uma altura enorme de 7,3 cms em 12 semanas, e que está óptimo de saúde.
Têm razão, sou um Pai Babado!!!

quarta-feira, 5 de maio de 2010

Nuno Pires na primeira pessoa (Parte2)

Se ontem falámos com o Nuno Pires sobre o Dualidades e de como vê actualmente Elvas, hoje continuamos com o seu ponto de vista sobre a nossa cidade, ou as dificuldades com que os portugueses se debatem com a crise. Também vamos conhecer um pouco mais das suas preferências turisticas e uma abordagem pelo mundo sportinguista. Não percam!

TP - Que perspectivas de futuro vês para Elvas?
NP - Elvas tem futuro, disso não tenho dúvida. E acredito que esse futuro passa pelo Turismo. É inegável a riqueza patrimonial de Elvas. Temos um conjunto monumental ímpar no mundo inteiro que, quer a Unesco o reconheça ou não, deve ser motor para dinamizar a economia local, criar postos de trabalho e gerar riqueza. Julgo que caminhamos nesse sentido, não sei é se tão depressa quanto seria necessário. Há que revitalizar o património, dar-lhe vida. É importante que quem nos visita tenha motivos de interesse, possa visitar igrejas e monumentos, seja devidamente acompanhado e saia de Elvas com boa impressão. E depois há que apostar numa boa divulgação!

TP - Portugal vive actualmente com graves problemas na economia, sendo mesmo apontado como o sucessor da Grécia na necessidade de apoio europeu. O Governo teima em afirmar que somos um caso muito diferente dos helénicos, mas os números contrariam esta posição. Pensas que entraremos em “falência” e só a EU nos poderá salvar?
NP - Bom, não sou nenhum especialista na matéria, mas a verdade é que a situação económica do país não é famosa e tem vindo a agravar-se. O problema principal da nossa economia é o facto de não registarmos crescimento. Se a isto somarmos o agravamento do endividamento do país a coisa complica-se. Governo e oposição parecem juntos nesta contenda de mostrar internacionalmente que somos capazes de resolver os nossos problemas. Prefiro esperar para ver e fazê-lo com algum optimismo.

TP - Achas que os nossos políticos têm condições para colocar Portugal no bom caminho?
NP - Acho que a classe política está desacreditada em Portugal. As altas abstenções nos momentos eleitorais provam-no bem. A política interna é feita muito à base da troca de insultos entre líderes partidários, em detrimento do debate de ideias que resolvam os principais problemas do país. Se o actual Governo parece não agradar a gregos e troianos, a verdade é que também não se identificam alternativas válidas.

TP - Muitos criticam a linha do TGV, pela qual há tanto tempo os elvenses suspiram, pois é considerado um projecto que afundará ainda mais o país pelo enorme investimento. Acreditas que a Plataforma Logística do Caia será o projecto que poderá fazer sair Elvas do “buraco”, devendo avançar mesmo contra a vontade de muitos?
NP - Acho que todos os que residimos neste zona interior do país temos esperança que a Plataforma Logística do Caia traga postos de trabalho e gere negócio. Infelizmente a conjuntura nacional e internacional jogam contra nós e a actual situação do país compromete a realização da obra. Apesar de reconhecer a sua importância para a região de Elvas, julgo não ser prudente aumentar ainda mais a dívida do país. Se o TGV fará Elvas sair do buraco ou não, só o tempo o dirá e ao ritmo que as coisas têm avançado talvez a nossa geração já não tire grande partido desse investimento.

TP - Rondão Almeida está no seu derradeiro mandato autárquico e já se comentam as próximas eleições para a Câmara. Como pensas que poderá ser a sucessão do actual presidente?
NP - Indiscutivelmente Rondão de Almeida marca as últimas duas décadas da vida política local. Goste-se ou não, há que reconhecer o trabalho desenvolvido que agrada a maioria dos elvenses, senão vejam-se os resultados eleitorais. Quanto à sua sucessão, julgo que sairá do actual executivo camarário, mas “prognósticos só no final do jogo”.

TP - Sempre que podes e a carteira o permite gostas de viajar. Qual a destino que mais apreciaste?
NP - Olha que ultimamente até tenho saído bem pouco, tenho-me cingido muito ao “vá para fora cá dentro” e a conhecer algumas cidades emblemáticas do país vizinho. No entanto, uma das viagens que mais me agradou foi à República Dominicana. Do melhor que pode haver ao nível do “dolce far niente”, apenas sol, praia e boa vida! Há outros destinos que podem parecer mais atractivos e que oferecem ofertas mais diversificadas, como sejam as capitais europeias. Confesso que ando muito tentado a dar um salto a Roma.

TP - Há pouco tempo surgiu o gosto pela fotografia, espelhado por diversas vezes no Dualidades. Qual o sítio que mais gostaste de fotografar?
NP - O gosto pela fotografia já vem de longa data, mas só ultimamente tenho investido mais nele. Não te consigo dizer qual o sítio que mais gostei de fotografar porque basicamente gosto é de fotografar : pessoas, sítios, tudo! A grande frustração que de momento sinto relativamente a esta paixão é a incapacidade de nas minhas fotografias transmitir a alma das coisas.

TP - És um apreciador de eventos culturais, em especial realizados na nossa cidade. Consideras Elvas uma cidade “eminentemente cultural” como afirma o amigo Xavier de Sousa?
NP - Considero que Elvas tem uma vida cultural dinâmica atendendo ao facto de estarmos situados no interior do país. Também a esse nível há que destacar o trabalho autárquico levado a cabo. As apostas na valorização do património, nos museus que têm surgido na cidade e nos espectáculos promovidos tornam-nos mais cosmopolitas. Quantas cidades do interior se podem gabar de ter um Museu de Arte Contemporânea? Através dele temos tido contacto com uma forma muito própria de arte que atrai a Elvas artistas plásticos e turismo de qualidade.

TP - Qual o espaço que mais gostas de visitar?
NP - Recentemente gostei bastante de visitar a Torre Fernandina. Além de nos contar mais alguns episódios da rica história elvense, oferece-nos uma panorâmica muito bonita sobre o casco histórico e toda a cidade. Faço votos de que continue a aposta na revitalização do património.

TP - A época futebolística está felizmente a terminar, em especial para nós sportinguistas. Qual achas que foi o problema para a péssima época “leonina”?
NP - Temos mesmo que falar deste assunto? Se tem que ser… Julgo que o problema parte de cima e o actual presidente do Sporting não se tem revelado o ideal para comandar os destinos do clube. A somar a isso “não se fazem omoletas sem ovos”.

TP - Na tua opinião qual será o caminho a seguir pela equipa do Sporting liderada pelo alentejano Paulo Sérgio, de forma a devolver aos adeptos as alegrias que tanto desejam?
NP - Muita coisa tem que mudar no Sporting da próxima época se queremos melhorar os maus resultados a que nos habituaram ultimamente, principalmente remodelar o plantel. Temos um historial muito importante que convêm dignificar e preservar. A situação económica do clube não permite grandes ambições, mas considero que o clube tem condições de um bom encaixe financeiro nas saídas que se prevêem. É preciso reforçar o plantel, por isso é importante que os dirigentes definam as posições prioritárias e invistam. Aposto no reforçar da baliza com a aquisição de um novo guarda-redes, bem como um “organizador de jogo”. Com a provável saída de Izmailov e João Moutinho, é necessário investir num bom médio ofensivo que comande o ataque e torne a equipa mais concretizadora. Vamos fazer votos de que na próxima época o nosso Sporting se reconcilie com os seus apoiantes e voltemos aos bons resultados.

TP - O que pede o Nuno Pires ao futuro?
NP - Este é um blog sério, convêm ter cautela nas respostas … ao futuro peço o mesmo que todos nós. Sou modesto nas minhas ambições e acima de tudo procuro estar bem comigo próprio porque isso reflecte-se no meu relacionamento com a vida e com os outros. Mas já que é para pedir : Saúde, Amor e Dinheiro.

TP - Foi uma verdadeira conversa entre dois amigos de longa data, com vários temas interessantes e que espero tenha sido do agrado dos leitores.
Friend obrigado, e aproveito para te desejar tudo de bom na vida pois bem mereces!

NP - Eu é que agradeço a amizade e retribuo os votos, mais ainda agora que vais ver a família aumentada. Felicidades para os três!

Scottish

terça-feira, 4 de maio de 2010

Nuno Pires na primeira pessoa (Parte 1)

O próximo convidado às entrevistas do Três Paixões é um grande amigo pessoal e desta casa, tendo sido um dos grandes impulsionadores para a criação do blogue. Tal como este Humilde Observador, o destino quis que o nosso posto de trabalho fosse na terra do café, mas a alma é 100% elvense. Também é formador e grande adepto de viajar, sportinguista de gema e utilizador da internet, quer através das redes sociais, quer pelo prestigiado blogue Dualidades, vencedor do Prémio Zé de Mello 2008 na categoria de Blogosfera Elvense.
Vamos conhecer um pouco mais alguém que gosta do anonimato, mas que aceitou de imediato esta conversa de amigos ao qual desde já quero agradecer.

TP - O Três Paixões viu a luz do dia muito pelo teu incentivo, pois já tinhas alguma experiência e conhecimentos através do teu trabalho com o Dualidades. Como começou a tua aventura pela blogosfera junto do sócio JP?
NP - Quanto ao Três Paixões, lisonjeia-me muito que afirmes ter sido um dos grandes impulsionadores da sua criação. Recordo-me que ao descrever-te a minha nova experiência ao nível da blogosfera e o que de bom tinha encontrado, percebi de imediato que tinhas ficado entusiasmado, ao ponto de finalmente deitares cá para fora o teu gosto pela escrita e pelas tuas paixões. Da mesma forma que O Três Paixões, o Dualidades também começou por acaso, numa almoçarada, e através do incentivo de um casal amigo, ambos já bloggers na altura. Debatendo a ideia com o sócio JP nasceu a ideia de um projecto a duas mãos onde seria interessante destacar duas vivências diferentes, uma na capital e outra na província, de dois amigos com formas de ser e estar também diferentes. Quisemos transmitir duas experiências distintas de ver e viver o dia-a-dia e julgo que o temos conseguido. Considero interessante comparar diferentes posturas e actuações face a uma mesma realidade, influenciadas por vivências e contextos diferentes.

TP - Desde a fundação no dia 13 de Novembro de 2007, o Dualidade já regista cerca de 79 mil visitas, sendo sem dúvida um dos mais “clicados” da Blogosfera Elvense. Na tua opinião a que se deve este sucesso de visitas?
NP - Aos amigos! Felizmente ao Dualidades acorrem quase diariamente muitos amigos dos sócios duais, pessoas que já faziam parte das nossas vidas antes deste projecto ter sido iniciado e outras que nos descobriram através do blogue e com as quais criámos laços. São quase dois anos e meio de convivência diária e outros tantos posts abordando as mais diversas temáticas de forma despretensiosa, apenas na busca de uma salutar troca de ideias.

TP - A diversidade de opiniões pelas vivências de cada sócio, é a ideia central do blogue. Como se dão um sportinguista e um benfiquista, um que vive em Elvas e outro que está em Lisboa, sendo estas as principais Dualidades?
NP - O JP e eu somos amigos há mais de vinte anos e normalmente temos opiniões muito diferentes sobre a maioria dos assuntos. Arriscaria até dizer que quase nunca estamos de acordo sobre tema nenhum. No entanto isso não impede que seja um dos meus maiores amigos e que sempre nos tenhamos entendido bem através de um civilizado debate de ideias. A coisa só se complica quando falamos de futebol…Confesso que nesse campo a racionalidade do discurso nem sempre impera.

TP - As habituais rubricas como o “Oito e Oitenta” nas quartas-feiras, a “Sugestão Dual” nos sábados, ou “As escolhas do Dualidades” nos domingos, já contam com muitas edições. Se os sócios têm uma alternância diária na elaboração dos posts, como fazem para a realização das escolhas musicais de domingo, num duelo interessante para ver quem tem o melhor gosto musical?
NP - Devo confessar que a ideia da rubrica “Sugestão Dual” foi do sócio JP. O seu a seu dono. Sempre tivemos preferências musicais diferentes e resolvemos submetê-las à apreciação dos amigos que visitam o Dualidades para tentar perceber qual delas obtém mais apoios. Acho que a pouco e pouco o JP se está a convencer de que eu tenho muito melhor gosto musical que ele. Considero que esta é uma das rubricas mais bem sucedidas do nosso blogue. Cada um de nós define a sua preferência musical, sem que troquemos impressões sobre o assunto. O link é colado no post de cada domingo e só nesse dia temos conhecimento da escolha do outro sócio. Depois é só aguardar pelas opiniões dos votantes.

TP - Recentemente aconteceu a tragédia de terem perdido quase tudo através do link original do blogue. O que se passou?
NP - Foi um episódio fatídico no jovem percurso de vida do Dualidades que ainda hoje não está completamente ultrapassado. Apesar de não termos perdido o histórico dos posts publicados, perdemos o contacto com alguns dos visitantes que ainda hoje se devem perguntar “o que aconteceu a estes dois cromos?”. A perda do link prendeu-se com um desaire técnico do qual o sócio JP não gosta muito de falar… Vamos respeitar a vontade do rapaz.

TP - Falando mais do Nuno Pires como pessoa. Como te definirias?
NP - Nunca é muito fácil falar de nós próprios, preferimos sempre que sejam os que nos rodeiam a fazê-lo. No entanto, se tiver que me definir, posso dizer que sou um típico nativo de Balança, como tu, amigo do seu amigo, frontal, extrovertido e que procura sempre que haja justiça nas suas atitudes, apesar de nem sempre o conseguir.

TP - Sendo elvense de gema, o que pensas do estado actual da nossa cidade?
NP - Como referiste na tua introdução, sou 100% elvense e dificilmente me veria longe da nossa Elvas natal. Preocupa-me a realidade económica da nossa cidade, a falta de oportunidades de trabalho para os mais jovens que, concluída a sua vida escolar, se fixam nos grandes centros e não regressam. Preocupa-me o facto de tu, tal como eu e outras tantas dezenas, termos que diariamente rumar ao concelho vizinho de Campo Maior para trabalhar. Estamos a pagar a factura das assimetrias que ao longo dos tempos foram sendo acentuadas pelos sucessivos governos de Lisboa com o encerramento de muitas valências que tornaram Elvas menos viva.

Não perca amanhã a segunda parte da conversa com Nuno Pires.

Scottish

domingo, 2 de maio de 2010

Remember the 80's (#10)

Um tema refrescante que nos fez "abanar" o capacete...



Scottish
Uma Paixão recordando os 80

sábado, 1 de maio de 2010

Tempo de Magia (#15)

Se houve um jogador efectivo no seu jogo simples e de rápidos movimentos, esse foi James Worthy. Tive o privilégio de ver muitos jogos pela TV deste jogador, eleito como um dos 50 melhores da história da NBA, sendo o finalizador do mais conhecido e emblemático sistema de jogo, o "showtime". Depois dos Lakers defenderem bem e recuperarem a posse de bola, Magic Johnson iniciava rapidamente o contra-ataque, "inventando" passes de por o público de pé para o habitual destinatário "Big Game James". Sempre de cara séria, com os óculos que o caracterizaram, teve uma carreira notável, de excelentes números que terminaram na conquista de 3 títulos da NBA.

Vindo de uma pequena localidade chamada Gastonia (Carolina do Norte), cedo destacou pela sua rapidez de movimentos simples e de grande efectividade. Worthy foi All-American High School Player pela Ashbrook High School da sua terra natal, tendo chegado à final estadual onde foi derrotado, mas com médias impressionantes de 21,5 pontos e 12,5 ressaltos por jogo.
Ingressou na University of North Carolina, tendo colegas que seriam futuras estrelas da NBA como Sam Perkins ou sua alteza Michael Jordan. Conseguiu na sua última época conquistar o campeonato da NCAA, derrotando na final os Hoyas de Georgetown, liderados por Pat Ewing. O 63-62 final para a UNC teve o contributo de James Worthy com 28 pontos coroando a final com o título do Most Outstanding Player.

Em 1982 foi eleito número #1 do draft pelos Los Angeles Lakers, naquela que foi a última vez que o campeão da NBA teve a possibilidade de ter a primeira escolha. Ainda bem que "Big Game James" foi para a minha equipa, pois desde o primeiro momento gostei da forma simples mas efectiva que o fazia brilhar em campo.
12 épocas como profissional, apenas manchada com um mau passe em Boston no jogo 2 das Finals de 84, interceptado por Gerald Henderson que empatou a partida levando-a para prolongamento. Os Celtics venceram a série em 7 jogos, e todos recordam o mau passe de Worthy, que poderia ter levado a vitória para LA.

Não tardou a vingança da equipa de Pat Riley, pois no ano seguinte chegaram novamente às Finals e contra os Celtics. Worthy esteve intratável, com uma média soberba de 23,7 pontos por jogo, e com uma percentagem de escandalo de 62,2% nos playoffs. Vitória por 4-2, conquistando o primeiro anel mas o prémio de MVP foi para Kareem Abdul-Jabbar.
Uma lesão num olho na eliminatória contra os Utah Jazz, obrigaram-no a ter de usar os famosos óculos de protecção até ao final da sua carreira.

Em 87 chegou o segundo anel, batendo novamente nas Finals os eternos rivais Boston Celtics por 4-2. Foi a décima vez que os dois clubes se enfrentaram para o título. Magic Johnson foi o MVP da série.
No ano seguinte houve "repeat". Os Lakers venceram o segundo campeonato consecutivo, numa década marcada pela grande evolução das equipas da NBA, dificultando a possibilidade dos campeões repetirem vitória. Estas Finals foram a cereja no topo do bolo para James Worthy, tendo sido o MVP de uma série de enorme qualidade. Os Lakers venceram os Detroit Pistons por um apertadissimo 4-3, com um 108-105 no séptimo jogo. Era o início da era "Bad Boys", que com o seu jogo físico pressionaram e muito a rapidez dos Lakers.
Um ano depois as duas equipas voltaram a enfrentar-se nas Finals, mas as lesões de Magic Johnson e Byron Scott condicionaram os Lakers que foram presa fácil para os Pistons liderados por Isiah Thomas.

Ainda chegou a mais uma série final em 1991, a sexta, contra os Chicago Bulls de Michael Jordan. Foi um passeio de Chicago, que depois de perder o primeiro jogo venceu os quatro seguintes. James Worthy e Byron Scott lesionaram-se no jogo quatro dando o primeiro título a Jordan.

O post vai longo, mas "Big Game James" foi um jogador que sempre gostei, pois identifico-o com o período que mais marcou a minha paixão por esta modalidade.
Actualmente é comentador para o canal de TV dos Lakers e analista da NBA para a KCBS em LA.
Foi All-Star por sete vezes, e os Lakers retiraram a camisola #42 em sua honra. Passou a integrar o Hall of Fame em 2003.



Scottish
Uma Paixão, um Tempo de Magia