quarta-feira, 31 de dezembro de 2008

Feliz 2009


Pois é. Dentro de horas já estaremos em 2009!
Para trás fica um ano repleto de muitas coisas, que cada um recordará com maior ou menor intensidade. Alegrias, tristezas, gargalhadas, lágrimas, loucuras, solidão, paixões, de tudo houve ao longo destes últimos 12 meses.

Não sou muito nostálgico ao ponto de reflectir sobre o que se passou ao longo deste ano prestes a findar. Claro que houve coisas marcantes, que servirão para tentar fazer de 2009 o melhor ano. Penso que este é o pensamento correcto para nos animarmos a continuar nesta vida que teima ser complicada.
E muito por culpa dos outros, dos interesses económicos, das desorganizações à escala mundial, e por muito que pensemos estar afastados dos problemas do mundo, eles acabam por ser realmente globais.
Mas também devemos pensar que podemos fazer muito mais nós próprios para mudar o rumo dos acontecimentos. As coisas não caiem do céu, e para conseguirmos o que queremos temos de arregaçar as mangas. Não é só falar na crise global, temos de agir!

Aqui mais para a terrinha, foram vários os acontecimentos que marcaram a nossa vida em 2008.
São vários os blogues que muito bem espelham o que se passou por estas bandas nos últimos 12 meses.
O meu destaque vai para a inauguração do Complexo Funerário de Elvas, a Final a 8 da Taça de Portugal de Basquetebol justamente conquistada pelo Vitória de Guimarães, a Semana da Juventude que melhorou muito ao ir para o Parque da Piedade.
Muito importante foi o programa "Câmara Mão Amiga" que em muito ajudou a realização de pequenas obras nas casas dos mais necessitados Elvenses de Ouro, sem esquecer (não é possível) o eterno São Mateus e a aprovação do projecto da Central Horto-frutícola que levará à criação de 675 postos de trabalho dos quais 250 directos.
Recentemente foi feita a apresentação do Estabelecimento Prisional que substituirá o Centro Educativo de Vila Fernando, criando mais 200 postos de trabalho. A manutenção das valências do Hospital de Santa Luzia, levou-nos a respirar melhor.
A pista de gelo no Coliseu, está-se a tornar um verdadeiro êxito para encerrar um ano globalmente positivo.

"O Elvas" ao não conseguir a tão desejada subida, fica como a grande tristeza do ano!
Espero que ainda não seja tarde para que lá para meados de 2009 estejamos a celebrar a passagem à 2ª Divisão B.

De certeza que muitas coisas irão acontecer no próximo ano, e cá estaremos os bloguistas para as postar aos nossos leitores.
Eu farei referência como sempre às minhas Três Paixões, das quais espero que 2009 venha repleto de boas notícias!

Desejo a TODOS um Feliz 2009, repleto de sucessos pessoais e profissionais.
Aproveitem para nesta noite se divertirem o máximo que poderem onde quer que estejam, pois temos de entrar no novo ano com toda a alegria possível!

Até pró ano!!!

Uma Paixão, uma opinião pessoal!

terça-feira, 30 de dezembro de 2008

Eleições do Clube Elvense de Natação


Em Assembleia Geral realizada ontem à noite na Piscina José Vicente Abreu, o Clube Elvense de Natação teve as eleições dos corpos gerentes para o biénio 2009/2010.

Sem qualquer surpresa a única lista concorrente, liderada por Luís Lopes da Silva, venceu por unanimidade. O único senão foi a quase total ausência de sócios do CEN, situação infelizmente habitual nas assembleias do Clube.
É nestas reuniões que os sócios devem fazer as suas críticas, apontar o dedo ao que consideram não estar bem, mostrar o seu (des)agrado ao trabalho desenvolvido pela Direcção. Ouvem-se por vezes algumas críticas em diversos temas do Clube, mas quando chega a reunião magna ninguém aparece.

Aqui podemos dizer que poderão ser dois os problemas. Ou o Clube está bem gerido e não faz falta aparecer, ou então as coisas estão tão mal que não vale a pena fazer nada. Pelo que conheço do CEN só posso pensar em apontar a primeira situação, sempre com críticas normais e correntes.
Habitualmente colocam-se alguns reparos aos preços de utilização da Piscina José Vicente Abreu durante a época de Verão. Que está caro, que ser sócio já não tem as devidas regalias, etc.
Acontece que não só se deveriam debater estes assuntos em conversas de piscina ou de rua, mas principalmente nas Assembleias Gerais. É nelas que os sócios se podem e devem manifestar, pois assim o Clube poderá evoluir a contento da maioria.
Fica feito o alerta aos associados do CEN!

A Lista dos Corpos Gerentes que irão dirigir os destinos do Clube no próximo biénio são:

ASSEMBLEIA GERAL
Presidente - Joaquim Augusto Santos Simões
Vice-Presidente - Osvaldo Martins Chilra Silva
1º Secretário - Semião Filipe Maurício Carvalho
2º Secretário - Arménio José Brilha Costa
Sec.Suplente - Ana Clotilde Antunes Carvalho

DIRECÇÃO ADMINISTRATIVA
Presidente - Luís Manuel Durão Lopes da Silva
Vice-Presidente - Joaquim Luís Von Gilsa Prazeres
Tesoureiro - António Conceição Silva
1º Secretário - José António Toucinho Lagareiro
2º Secretário - Francisco José Caeiro Lopes

CONSELHO FISCAL
Presidente - João Carlos Alçada Tomás Almeida
Vogal - José Luís Serra Balseiro
Vogal - Carlos Augusto Bonita Pernas

Pode-se dizer que são sempre os mesmos, mas em equipa vencedora não se mexe, e como não há mais ninguém interessado em participar, só podemos dar os PARABÉNS aos eleitos.
Luís Lopes da Silva está no cargo desde Março de 1985, ou seja vai para 24 anos de presidência no CEN. Acho que a obra feita fala por si.

Uma Paixão, uma opinião pessoal!

segunda-feira, 29 de dezembro de 2008

Colapso Hospitalar


Todos temos ouvido que as urgências nos hospitais estão entupidas por todo o país, com o surto de gripe.
O Hospital de Santa Luzia não foge à regra, e no dia de Natal a sala de espera não foi suficiente para albergar tanta gente que recorreu às urgências.
Pode-se dizer que com o surto de gripe é normal que as urgências nos hospitais e centros de saúde fiquem colapsadas, mas aqui o problema passa por alguma desorganização do Hospital.

Apenas dois médicos estavam de serviço, com mais de 100 pessoas a aguardar pela sua consulta. A espera demorou para muitos, mais de 4 horas. Não é nada comparado com o doente que esteve em Lisboa a aguardar 22 horas pela sua vez, mas não deixa de ser bastante tempo.
Falei da desorganização pois quem esteve presente no HSL foi o que sentiu. Com tanta gente na sala de espera, convenhamos que deveria haver médicos de prevenção para poderem rapidamente ajudar a "desentupir" as urgências.
Todos sabemos do surto da gripe, e também sabemos que nestes dias há abusos alimentares que podem originar idas ao hospital. A tudo isto, e com o feriado numa Quinta-Feira, é normal que se tirem dias de férias para aproveitar passar o Natal em família, mas penso que haverá médicos residentes em Elvas, em número suficiente, para estarem de prevenção.

É neste ponto que mostro algum desagrado. Há certas profissões que exigem muita disponibilidade, e a medicina é uma delas, por muito que se diga que todos temos os mesmos direitos. Assim, só podemos pedir maior organização na elaboração da escala de serviço para estes dias, que, como se viu, foram infelizmente de muito movimento.
Foi notório o desagrado dos utentes. Alguns chegaram, viram como estava a sala de espera e desistiram da ideia de aguardar pela sua vez, tendo ido para Badajoz. Outros que já aguardavam há algumas horas, também desistiram. O desespero de alguns, especialmente os que acompanhavam crianças, levaram a que fossem colocados dois seguranças na entrada do corredor das urgências.

É uma situação anormal, mas requer alguma reflexão por parte dos responsáveis do HSL, afim de evitar novo colapso.

Uma Paixão, uma opinião pessoal!

quarta-feira, 24 de dezembro de 2008

Feliz Natal!


Todos recebemos mails, sms, cartões de boas festas por esta quadra, onde lemos muitas palavras que apenas utilizamos nesta altura do ano, como Paz, Amor e Amizade.
Alguns dirão lamechices, mas se são enviadas é porque ainda temos o espírito natalício, que tentamos esconder, mas que acaba sempre por aparecer.
Outros aproveitam para mandar brincadeiras relacionadas com a quadra, o que acaba por ser sinal de boa disposição, que sempre se agradece :)

Este ano, e não sei se a crise também entrou nos mails e sms à borla, mas de uma forma geral todos recebemos menos "material" a desejar-nos as boas festas.
Porquê? Não faço ideia, pois ainda ontem mandei sms à minha lista de contactos, mas é o que está a acontecer.
Ontem falei do comodismo crescente que se nota nas pessoas para efectuar as suas compras sem gastar passos. Será que o comodismo também chegou ao desejo de boas festas? Parece que sim, mas quero mais acreditar na falta de tempo...

Vamos deixar de divagações pois hoje é dia 24 de Dezembro!
Ou seja, noite de prendas, jantar de família com um menu diferente do habitual, bem regado :), ver a alegria e êxtase das crianças a rasgar os embrulhos para ver se o Pai Natal trouxe o que pediram...
Tantas coisas acontecem neste dia, um dia que nos marca ano após ano, um dia em que a família tem um significado especial, por muito que se diga que deve ser assim todos os dias.

Antes disso ainda tentamos beber umas cervejinhas com os nossos amigos, em jeito do primeiro festejo natalício, mas só se já comprámos todas as prendas!
É aqui que ao entrarmos nos bares, deparamo-nos com caras que já não vemos à bastante tempo, de filhos da terra espalhados pelo Mundo, que regressam a casa para celebrar o Natal em família!

Por estes e outro motivos, o Natal deixa-nos especialmente sensíveis, felizes e inundados de claras demonstrações de carinho e afecto dos que nos são mais chegados.

É o Natal...

Desejo a todos os AMIGOS e visitantes do Três Paixões, um Santo e Feliz Natal na companhia das vossas Famílias.
Que esta seja uma noite Mágica!
São os sinceros desejos do SEMPRE AMIGO Scottish.


Uma Paixão, uma opinião pessoal!

terça-feira, 23 de dezembro de 2008

Compras de última hora


Por muito que todos os anos digamos que "para o ano compro as prendas mais cedo", isso para muitos é impossível.
Tornou-se um hábito comprar as prendas de Natal, ou pelo menos algumas, a poucos dias da Noite da Consoada. Para não falar nas que se fazem no dia 24...
Penso até que este será o dia em que os Comerciantes realizam a melhor caixa da quadra, e provávelmente do ano.

Acaba por ser giro, pelo menos para mim, ver a azafama que há no Centro Histórico nos momentos antes da reunião familiar. Entradas e saídas das lojas em grande correria para as derradeiras comprinhas, com o propósito que a noite em família seja a melhor possível. Falta sempre alguma coisa para requintar o menú do jantar, as donas de casa correm para casa com a intenção que nada falte, o embrulhar de algumas prendas compradas à última da hora, o encontrar-se com os amigos/as para beber uma cervejinha antes da reunião familiar... Tudo isto é habitual vermos no dia 24! É giro, não acham? :)

No entanto preocupa-me o que temos visto no Centro Histórico. Ruas despidas de gentes, enquanto que os hiper-mercados estão completamente cheios.
Creio que todos sabemos termo-nos tornado cada vez mais comodistas, e se podemos no mesmo sítio comprar tudo o que necessitamos, melhor. Perante este cenário, a preocupação instalou-se no comércio local, porque a não ser que necessitemos de algo urgente ou que os hiper's não tenham, simplesmente não vamos às lojas.
Muito se tem falado na blogosfera elvense que seria importante "criar" o Centro Comercial aberto no Centro Histórico. Para isto claro está, e não querendo ser repetitivo, as mentalidades e a iniciativa dos comerciantes têm de mudar.

Não será fácil, mas todos devem pensar que algo deve ser feito para alterar esta situação. Penso até que este ano as lojas dos chineses, onde se encontram milhares de coisas a preços baixos, também não estão a ter os lucros de anos anteriores.
Enquanto isso olhamos para o Modelo ou o Intermarché, hiper-mercados com maior variedade de escolha, e estão "abarrotados" de gente.
São estas superficies que verdadeiramente lucram com o Natal, aproveitando claramente o nosso comodismo.
Isto para não falar de Badajoz, onde chegamos a encontrar conterrâneos que não vemos em Elvas! Tenho inveja da Calle Menacho ao ver tanta gente com sacos de compras na mão, e lojas cheias até à porta.

Gostava tanto de ver o mesmo no nosso Centro Histórico...

Uma Paixão, uma opinião pessoal!

domingo, 21 de dezembro de 2008

Disco 80

Basquetebol - Vitória no fecho do ano


SCC/Delta Cafés - 67
Malveira - 56

Segunda vitória consecutiva e a quarta na prova, para fechar o ano e consequentemente a primeira volta, com 4 vitórias e 6 derrotas.
Não é um balanço positivo, mas para quem era apontado por muitos como o principal candidato a ficar em último, não está mal.

Ontem a equipa venceu justamente, mas mostrou ser inconstante. Depois de um bom arranque de jogo, chegando com facilidade no meio do primeiro período aos 12-3, simplesmente bloqueou. E o bloqueio durou praticamente 15 minutos, com um ataque muito pouco esclarecido e precipitado. O parcial inicial ainda fechou com vantagem dos "galgos" por 2 pontos, 14-12, mas os segundos 10 minutos foram mesmo para esquecer.
Ataques rápidos e mal definidos que conduziram a contra-ataques fáceis do Malveira, levaram a um péssimo parcial de 8-18, fechando a primeira parte com o resultado desfavorável de 22-30. Marcador demasiado baixo, mas merecido castigo pela péssima exibição até então.
A tudo isto temos de referir que a arbitragem teve uma má actuação, permitindo constantemente os contactos por vezes duros dos jogadores do Malveira, enquanto que o mínimo toque dos da casa era assinalado. Não serve de desculpa para a má prestação na primeira parte do SCC, mas ajudou.

Tudo diferente no regresso dos balneários. A equipa parecia outra, a que deve ser, e num ápice a desvantagem foi anulada. Também há que destacar que os árbitros decidiram marcar as faltas ao Malveira e as idas à linha de lance-livre por parte dos "galgos" foram constantes. Desta vez a equipa esteve bem melhor neste capítulo. Tanto que depois de um cesto inicial de 2 pontos, o SCC marcou 10 pontos seguidos desde a linha de lance-livre. Com isto vemos que a equipa se mentalizou que deveria fazer mais e melhor, e também se destaca a forma faltosa como o adversário defendia.
Os "galgos" mostraram maior esclarecimento em ataque, e de uma forma natural o parcial do terceiro período foi favorável por 24-16. Os da casa marcaram mais pontos neste período do que em toda a primeira parte.
No inicio dos derradeiros 10 minutos, e com um empate a 46 no marcador, pensava-se que o SCC iria embalar para uma vitória confortável. Mais quando os jogadores do Malveira se iam carregando de faltas, condicionando claramente a forma como poderiam defender. No entanto o SCC teve dificuldades em distanciar-se no marcador. O masoquismo desta equipa chega a ser irritante, pois sempre que joga com equipas mal classificadas há dificuldades. Só mesmo na parte final é que a vitória ficou assegurada, e isto muito por culpa da alteração táctica em defesa por parte dos "galgos". A zona 2-3 surtiu efeito, pois o Malveira não conseguiu atacar com facilidade o cesto dos da casa. Muita pressão na bola e conquista dos ressaltos defensivos, foram as premissas para sentenciar definitivamente o jogo. Parcial de 21-10, para o resultado final de 67-56.
A nota negativa do jogo foi a desqualificação do Bruno Pedro, por agressão a um adversário. O pedido de desculpa do Bruno a toda à equipa foi imediato, mas fica o registo que nunca se pode reagir assim, por muito que um adversário esteja a provocar com "bocas" constantes. Mais quando o Bruno entrou bem no jogo, com confiança e a marcar pontos. Que esta acção sirva para reflectir, pois não pode voltar a acontecer.

Marcadores do SCC: Pedro Carranca - 6 pontos; Gonçalo Piçarra - 4 pontos; Rui Fonseca - 0 pontos; Radu Spînache - 6 pontos; Bruno Metelo - 11 pontos; Tiago Oliveira - 12 pontos; Bruno Pedro - 6 pontos; Gonçalo Roxo - 2 pontos; Tiago Pires - 7 pontos; Miguel Candeias - 0 pontos; Orlando Milhano - 13 pontos.

O Campeonato regressa para o SCC no dia 3 de Janeiro, depois da habitual paragem natalícia. Será uma deslocação complicada, a visita ao Estoril, um dos primeiros classificados. Na primeira volta em Campo Maior, o equilibro foi a nota dominante. Venceram os da linha de Sintra por 10 pontos, 53-63, e ao longo das 11 primeiras jornadas tem-se mostrado uma equipa consistente, e por isso a boa classificação. Mesmo assim e registando que o SCC joga melhor quando enfrenta equipas de maior qualidade, esperamos que o "abanão" necessário seja neste jogo. O SCC não é inferior ao Estoril em qualidade, e a diferença é sem dúvida na inconstância dos "galgos". Se a equipa se mostrar mais equilibrada no seu jogo ao longo dos 40 minutos, de certeza que se verá o SCC em posições mais altas na classificação.
O jogo será dia 3 às 17 horas, no Pavilhão dos Salesianos em Manique.

Uma Paixão, uma opinião pessoal!

quinta-feira, 18 de dezembro de 2008

Não basta a crise senão também o frio...


Estamos na época do ano de maior consumismo. Nota-se que vamos mais às lojas, mas pouco mais, insuficiente para os desejos dos comerciantes elvenses.
A malfadada crise faz-nos apertar cada vez mais o cinto, e provavelmente as prendas deste ano irão ser menos boas. Tudo bem que conta a intenção, mas gostamos de oferecer prendas que marquem as pessoas que nos são mais próximas.

A tudo isto temos de juntar o frio que ultimamente se faz sentir na terrinha!
Como dizem os mais velhinhos, "até faz doer os ossos"! É que com o frio gélido que sentimos, a vontade de ir às compras é menor, para não dizer nenhuma.
Sinceramente não me recordo de ter tanto frio nesta altura do ano. Hoje por exemplo não se pode andar na rua. Liguei o rádio de manhã e ouvi a informação metereológica para hoje. Céu limpo e frio para todo o continente. O frio nota-se bem, mas o céu limpo só mesmo para outros lados. O nevoeiro não levanta e vamos ter um dia "cinzento", carregado de FRIO!

Com estes "problemas" temos os comerciantes aflitos, pois a noite de Natal aproxima-se e as vendas não estão a ser nada de especial. Então que fazer? Não se pode esperar que a Câmara faça tudo para "puxar" clientela ao centro histórico. Deve haver iniciativas particulares para alterar o rumo dos acontecimentos, nem que seja apresentar as ideias para a Câmara as poder divulgar.
Todos sabemos que ou o comércio aproveita o Natal, ou não o fará no resto do ano.
Quanto ao frio nada a fazer. Esperar que o São Pedro o sinta e resolva aquecer o tempo :)

Tenho algumas ideias que apesar de já ser tarde, poderão ainda dinamizar o centro histórico. Promover um Concurso de Montras de Natal, seria um atractivo bastante interessante. Outra ideia, a de colocar Árvores de Natal nas lojas, e premiar a melhor, tendo isto já sido feito há uns anos em Elvas.
Todos sabemos que os olhos também comem! Embelezando mais e melhor as montras e portas de entrada dos estabelecimentos, de certeza que a vontade de entrar seria maior.
Acredito também que um Sorteio de Natal, tipo por cada X euros de compras fica habilitado a um vale de compras no valor de X, poderia ser uma ideia motivadora.

Com isto pretendo apenas ver que Elvas está cada vez melhor, apesar da crise e do frio...

Uma Paixão, uma opinião pessoal!

quarta-feira, 17 de dezembro de 2008

Festa dos Anos 80 no MCA


Como já tinha avançado há umas semanas atrás, o Moto Clube Alentejano vai promover festas diferentes com a intenção de voltar a dinamizar o seu Bar.
No próximo dia 20, será a Festa dos Anos 80, com a participação do DJ Luís Badalo.
Voltaremos a ter os discos de vinil a tocar, com músicas que marcaram uma geração, e que agora voltou a estar na moda. Quem não se lembra do Tarzan Boy (Baltimore), Wake me up before you go-go (Wham), Big in Japan (Alphaville), Like a Virgin (Madonna), Jump (Van Halen), I want to break free (Queen), It's my life (Talk Talk), Words (F.R.David), Don't you forget about me (Simple Minds), Venus (Bananarama), Relax (Franky Goes to Hollywood)... Estas são algumas que me vieram à cabeça, mas são muitas e boas as músicas que tivemos o prazer de viver na década de 80.

Sim, está mesmo na moda. Basta ligar por exemplo a RFM, para ouvirmos com alguma frequência temas que cantámos e dançámos na altura da Europa (saudades, né?).
Até no próprio site da RFM consta a webradio 80's. A moda pegou também nas Rádios locais e festas promovidas por todo o país.

No Sábado a partir das 23 horas, vamos ter a segunda parte do Remember Europa (grande festão), e tenho a certeza que será mais uma casa cheia no Bar do MCA.
Atenção que SÓ ENTRA QUEM TIVER CONVITE. Para o conseguir dirijam-se ao Moto Clube Alentejano até Sexta-Feira.

Venham festas destas que a malta gosta :)

Uma Paixão, uma opinião pessoal!

terça-feira, 16 de dezembro de 2008

Apontamentos...


Os leitores do Três Paixões passarão a ver este título com alguma assiduidade.
Isto porque de uma forma geral vou tentar escrever sobre o que se passa por Elvas, nem que seja duas linhas por cada assunto.

Endereço os meus Parabéns à Sociedade Instrução e Recreio, que no passado dia 8 comemorou apenas 128 anos de existência. Não estive presente para comer a tradicional feijoada, mas sei que a festa foi muito gira, com vários escalões etários presentes, que contou com a actuação do grupo Sem Origem. Ao amigo Joaquim Maroto o pedido de continuar com o bom trabalho desempenhado na SIR, em especial a recuperação da Sede que em 80% já se encontra concluída.

Igualmente dou os Parabéns ao Centro de Recreio Popular do Bairro da Boa-Fé, que no passado dia 8 comemorou as Bodas de Ouro. A festa realizou-se no Restaurante "O Carrascal" com a presença de 200 pessoas. De destacar a actuação graciosa do cantor Manuel Fria, atitude de louvar para uma colectividade com dificuldades económicas e que assim abrilhantou a data festiva.

No mesmo dia no Campo Pedro Barrena, do Estádio Municipal de Elvas, as camadas jovens d'"O Elvas" fizeram a sua festa, com a participação de centena e meia de jovens futebolistas, com idades compreendidas entre os 5 e os 12 anos. Um palavra de incentivo a pessoas como o José Picado, o Luís Piçarra, o Joaquim Pires, o José Laço, o João Paulo Magro. Passa por eles o futuro do futebol do Colosso Azul e Ouro. A formação é importantíssima para podermos tornar a base da equipa sénior de futebolistas formados no clube. Economicamente há vantagens e a ligação ao clube é muito mais forte. Continuem que contam com o apoio de todos!

No passado dia 13 o Atletismo do Clube Elvense de Natação foi premiado na Gala dos Circuitos da Raia e Ibercaja da vizinha Extremadura. Foram vários os atletas premiados o que torna evidente o bom trabalho desenvolvido pelo Atletismo do CEN.
No Circuito da Raia, os infantis Guilherme Mota (1º) e Filipe Mota (3º), os iniciados José Carlos Gañan (1º) e Pedro Belém (3º), foram os que tiveram direito a troféu.
No mesmo Circuito foram distinguidos os atletas Filipe Mota (veteranos A), Vicente Aperta (veteranos B), e o incombustível Mário Germano (veteranos F).
No Circuito Ibercaja os prémios foram para os iniciados Guilherme Mota (1º) e Rodrigo Mota (3º).
Na velocidade ainda foram distinguidos Paulo Araújo e Raquel Cabanas, bem como o veterano Mário Germano. Parabéns a todos!

A Câmara Municipal de Elvas e as Juntas de Freguesia do Concelho deram início no dia 15, a uma semana de Festas de Natal com os agrupamentos escolares de Elvas. A iniciativa é de louvar, pois trata-se de enraizar cada vez mais a pequenada à terrinha. São eles o futuro de Elvas e devemos pensar em todas as iniciativas possíveis para as nossas crianças!

Uma Paixão, uma opinião pessoal!

segunda-feira, 15 de dezembro de 2008

Basquetebol - SCC regressa às vitórias

Antes de mais as minhas desculpas por não estar a actualizar o blog diariamente. Entre o trabalho, os treinos do SCC, o estar integrado na equipa que vai fazer regressar em pleno o basquetebol a Elvas, o tempo disponível tem sido pouco.
No entanto, e por respeito aos assíduos (e não são poucos) visitantes do Três Paixões, prometo voltar à regular actividade bloguista.

CARNIDE - 47
SCC/DELTA CAFÉS - 56

Regresso do Campomaiorense às vitórias, depois de três derrotas consecutivas.
Sem qualquer margem de discussão, a vitória é justa da melhor equipa ao longo de todo o jogo. Os "galgos" controlaram sempre a marcha do marcador com maior ou menor vantagem. Muito querer por parte do Carnide, mas a maior tranquilidade dos alentejanos foi mais forte e a terceira vitória ficou consumada.
O Campomaiorense apresentou-se com algumas baixas. Umas por doença, outras por necessidade de estudo, e assim apenas 8 jogadores estiveram presentes no Pavilhão Municipal Bairro Padre Cruz em Carnide.
Há jogadores que terão de trabalhar mais e estar mais implicados com a equipa se pretendem ter mais minutos de jogo, ou mesmo a possibilidade de jogar.

No primeiro período os da casa começaram bem, com um 6-0 de início, mas o Campomaiorense respondeu de imediato, anulando a desvantagem e passando para a frente do marcador, situação que não voltou a ser alterada até ao fim. Parcial de 11-14 nos 10 minutos iniciais muito por culpa da boa defesa alentejana, e de um ataque seguro e sempre na procura do jogador livre. No segundo parcial o Campomaiorense voltou a estar melhor que o adversário, com um parcial favorável de 12-17. Justificava-se a vantagem de 8 pontos, 23-31, ao intervalo, mas ficou o recado de que o SCC podia e deveria ter uma vantagem mais amplia. Os erros nos lances-livres, a perda de vários ressaltos defensivos originando segundos lançamentos para o Carnide, e alguns ataques precipitados, foram os motivos que levaram a não haver uma margem mais dilatada.

No terceiro período, os "galgos" voltaram a superiorizar-se com um parcial de 7-13, tendo sido 10 minutos em que as defesas se superiorizaram aos ataques. O SCC alternou entre a defesa individual e a zona 2-3, baralhando o ataque dos da casa.
Para os derradeiros 10 minutos os alentejanos contavam com uma vantagem de 14 pontos, 30-44, e parecia ser definitiva. Ao contrário do que sucedeu na maioria do jogo, os "galgos" precipitaram-se em demasia, com ataques demasiado rápidos, originando lançamentos sem exito. Isto fez com que o Carnide, com uma zona press a todo o campo, se empolgasse, reduzindo a desvantagem até aos 6 pontos de diferença. Necessário desconto de tempo do SCC para "travar" a recuperação do Carnide, e depois a equipa conseguiu controlar o marcador até ao fim, terminando com um parcial favorável aos da casa por 17-12, fechando o jogo com o definitivo 47-56.

Vitória justa da equipa mais equilibrada ao longo do jogo, mas fica um recado. A equipa pode e DEVE fazer melhor. Foram notórias algumas melhorias, como a melhor adaptação à defesa zona 2-3, consolidada que está a defesa HxH, mas falta "fechar" o ressalto defensivo. A equipa permite demasiados segundos lançamentos aos adversários, e isso pode condicionar possíveis vitórias. Tacticamente a equipa tem de se mostrar mais disciplinada, mas parece que está no bom caminho.
Arbitragem com erros, contanto com um dos árbitros da Liga, o conhecido Carlos Santos.

Marcadores do SCC: Pedro Carranca - 15 pontos; Gonçalo Piçarra - 0 pontos; Rui Fonseca - 8 pontos; Radu Spînache - 4 pontos; Bruno Metelo - 8 pontos; Tiago Oliveira - 8 pontos; Tiago Pires - 5 pontos; Orlando Milhano - 8 pontos.

No próximo Sábado dia 20, o Campomaiorense recebe no Pavilhão Rui Nabeiro pelas 16 horas, o Malveira, fechando assim a primeira volta do Campeonato.
Face aos lugares que as equipas ocupam na tabela, e pelos últimos resultados, os "galgos" só podem pensar na vitória. De a conseguirem podem fechar o ano 2008 com 4 vitórias e 6 derrotas, o que até não é mau registo. Esperamos que assim seja!

Uma Paixão, uma opinião pessoal!

quarta-feira, 10 de dezembro de 2008

10 de Janeiro - Regresso do Basquetebol a Elvas


Este sim é um post que me satisfaz muito escrever, pois sendo o Basquetebol uma das Paixões, temos o regresso da modalidade à terrinha!
A ideia do regresso já há algum tempo que se adivinhava, pois eram várias as pessoas que estavam interessadas em recuperar o basquetebol em Elvas.
Amigos, antigos jogadores e treinadores fomos falando da ideia, e a decisão de avançar não se fez esperar. A equipa de trabalho será grande, doutra forma penso que não seria viável, e haverá 8 treinadores / monitores para o trabalho de campo, mais 7 elementos na condução da secção.

Claro está que o regresso só poderia acontecer de novo no Clube Elvense de Natação, emblema que sempre apoiou a modalidade e que voltará a fazê-lo. É da responsabilidade da equipa de trabalho conseguir que o barco navegue em águas tranquilas, e já se está a tratar da divulgação do regresso. Irá surgir publicidade nos meios de comunicação social elvenses, cartazes que irão ser espalhados pelo concelho, e a ideia mais importante, entregar a cada miúdo do 1º e 2º ciclo o folheto que anexo ao post.
Pretende-se que cada encarregado de educação veja o regresso do basquetebol, e autorize, ou não, a prática por parte do(a) seu(ua) filho(a). Assim a Secção irá saber com o que pode contar no dia apontado para o arranque do projecto, esperando claro está que a pequenada apareça em massa.

Desde já o agradecimento aos responsáveis dos agrupamentos escolares de Elvas, que mostraram imediata disponibilidade para nos ajudar a divulgar o regresso.

O objectivo é claro. Criar raízes fortes entre os miúdos e a modalidade, assim como ao clube. Para isso o regresso irá ser feito para os mais pequenos, ou seja, queremos praticantes entre os 6 e os 14 anos de idade. Só haverá no início o escalão de minis e sub-14 e a Secção tem o propósito de conseguir ser esta época acreditada como Escola Nacional de Minibasquete. Para isso terá de haver um mínimo de 30 minis até 30 de Junho, mas a este número junta-se também o de tentar inscrever 20 jogadores sub-14.

Está tudo pensado para que o regresso seja um sucesso, já que as ideias são mais que muitas :).
Fica o convite para que apareçam no dia 10 de Janeiro pelas 10 horas da manhã, no Pavilhão Desportivo Municipal. De certeza que gostarão!

Uma Paixão, uma opinião pessoal!

terça-feira, 9 de dezembro de 2008

Basquetebol - Derrota pesada do SCC

Depois de umas férias, aproveitadas para comprar algumas prendas para o Natal, voltamos ao dia-a-dia habitual e consequentemente recuperarmos a actividade bloguista :)


Salesianos OSJ - 90
SCC/Delta Cafés - 44

Com bastante desagrado tenho de fazer este post, pois a derrota do Campomaiorense no pavilhão do Salesianos OSJ foi muito pesada. Sinceramente não há uma explicação lógica para uma diferença tão grande entre as duas equipas. O Salesianos teve uma alta percentagem de efectividade, enquanto o Campomaiorense teve muitas dificuldades em marcar pontos. Porquê? Simplesmente um mau dia em que o aro parece estar "fechado". A única diferença notória neste jogo foi a intensidade colocada pelo Salesianos, a jogar sempre a um ritmo elevado, ao contrário da inexplicável apatia dos alentejanos. O Campomaiorense mostrou enormes dificuldades para entrar no jogo.
O primeiro parcial de 22-6 é revelador da péssima entrada em jogo. Apenas um cesto de campo em 10 minutos é muito pouco para poder lutar pela vitória. O segundo período ainda foi pior, com um 28-9 que sentenciava definitivamente a partida. Ao intervalo vantagem para os de Lisboa por 35 pontos de diferença, 50-15.
A segunda parte foi algo mais "equilibrada". Sem possibilidades de poder dar a volta a uma desvantagem tão grande, o Campomaiorense mostrou melhor cara no terceiro período, vencendo o parcial por 17-18. No entanto os derradeiros 10 minutos voltaram a ser de domínio claro do Salesianos OSJ, devido também à desmotivação natural dos alentejanos. Parcial de 23-11, fixando o resultado final em 90-44.
Ou seja, jogo mesmo para esquecer, num mau dia do Campomaiorense. Face a este mau desempenho alentejano, o possível equilíbrio que poderia haver face à situação actual das duas equipas na tabela, não aconteceu. Estamos convictos que foi mesmo um mau dia e que se irá trabalhar para dar JÁ a volta por cima a esta fase mais negativa.
Arbitragem com trabalho positivo, facilitado pela diferença no marcador.

Marcadores do SCC/Delta Cafés: Rui Fonseca - 3 pontos; Gonçalo Piçarra - 8 pontos; Radu Spînache - 4 pontos; Bruno Metelo - 2 pontos; Tiago Oliveira - 11 pontos; Bruno Pedro - 0 pontos; Gonçalo Roxo - 5 pontos; Tiago Pires - 1 ponto; Miguel Candeias - 0 pontos; Nuno Soutino - 0 pontos; Orlando Milhano - 10 pontos.

No próximo Domingo dia 14, nova deslocação a Lisboa, desta vez para defrontar o Carnide, um dos últimos classificados. Prevê-se um jogo com dificuldades, mais pelo que sucedeu aos "galgos" nos dois últimos jogos. De certeza que os da casa irão empenhar-se para vencer a partida, mas há a obrigatoriedade do Campomaiorense voltar a mostrar a boa cara dos 5 primeiros jogos. Acontecendo isso só podemos pensar no regresso às vitórias. A partida está agendada para as 16h45 no Pavilhão Mun.BºPadre Cruz em Lisboa.

Uma Paixão, uma opinião pessoal!

quinta-feira, 4 de dezembro de 2008

Exposição Mãos de Ouro

Aproveitando os derradeiros dias de férias :( , fui ao Museu da Fotografia ver a Exposição Mãos de Ouro, organizada pela Câmara Municipal de Elvas.

Estavam expostos diversos trabalhos de renda e papel, na sua maioria elaborados pelos nossos "Velhinhos", adjectivo que coloco de uma forma totalmente simpática.
Há trabalhos que só as mãos experientes e sábias destas pessoas conseguiriam fazer.
Valeu mesmo a pena reparar em trabalhos como, por exemplo, as rendas feitas pela D.Catarina Travanca, com "apenas" 87 primaveras, tendo sido uma das que mais contribuiu nos trabalhos apresentados pela Santa Casa da Misericórdia de Elvas.
Estas pessoas merecem todo o nosso apoio, pois sem elas não andaríamos por cá, né?

Este é o meu pequeno tributo aos "Velhinhos" que se encontram nas várias instituições espalhadas pelo nosso concelho.
A todos eles o meu MUITO OBRIGADO, por terem feito que seja possível continuarmos a viver no concelho de Elvas.
Sem vocês ninguém poderia dar continuidade à evolução de Elvas. Cabe-nos a nós mais jovens, continuar esse trabalho.









Uma Paixão, uma opinião pessoal!

quarta-feira, 3 de dezembro de 2008

Iluminação de Natal em Elvas

A Cãmara investiu 60 mil euros na iluminação de Natal, acesa deste o dia 30 de Novembro, até ao próximo 6 de Janeiro, Dia de Reis. Serão 38 dias em que todas as noites podemos ver um centro histórico diferente, com uma iluminação composta por um milhão e duzentas mil lâmpadas, que realmente chama a atenção.
Haverá os mais variados comentários, mas na minha opinião a escolha da iluminação está bem feita. Salta à vista a Rua da Cadeia, com muita luz e as cores escolhidas estão perfeitas. O Azul e Ouro do Colosso ficou bem patente numa das principais artérias da cidade! Poderá ter sido obra do acaso, e acredito que seja pois estas duas cores combinam bem, mas para os mais atentos como eu, não deixaram escapar a oportunidade :)
Abaixo mostro fotos das ruas onde temos iluminação de Natal, para que quem não viu faça por ver, pois valem a pena.

Rua de São Francisco


Praça da República


Rua de São Lourenço


Rua da Carreira


Rua de Alcamim


Rua de Olivença


Rua da Cadeia


Rua da Feira


Rua Eusébio Nunes


Largo da Misericórdia


Rua Alferes Cristovão Pinto


Rua de Évora


Praça 25 de Abril


Uma Paixão, uma opinião pessoal!

segunda-feira, 1 de dezembro de 2008

Parabéns "Azevia"




Como estive a gozar o fim de semana prolongado, hoje tenho de actualizar o Três Paixões, e por esse motivo são 3 os posts colocados. Vamos ao trabalho!

Mais um aniversário, o 98º, da Sociedade Recreativa 1º Dezembro, a popular "Azevia".
Como habitualmente à meia-noite o hino da Restauração, tocado pela Banda 14 de Janeiro, foi entoado por largas dezenas de pessoas que encheram por completo a Rua de Aires Varela. É um momento marcante para muitos elvenses, que ano após ano marcam a sua presença.
O frio gélido que se fez sentir na passada noite, não demoveu quem quis participar na festa, que foi de arromba. Muitas minis, copos de vinho, a tradicional açorda, a linguiça assada, foram acompanhantes de cânticos e muita conversa, que se prolongou até altas horas da madrugada.

Estive presente com dois bons amigos, o Badji, que fez a sua estreia nas comemorações, e o Presi. As minis foram algumas, o ataque à açorda teve de ser e rematámos a noite com uma linguiça assada :)
Aproveitei para tirar uns "bonecos" que imortalizassem o momento!

Para o ano lá estaremos para passar uma noite que é diferente, e que merece ser vivida. Faltam apenas 2 anos para comemorarmos o centenário! NÃO FALTEM!

Uma Paixão, uma opinião pessoal!

Minibasquete - Excelente manhã em Campo Maior


Foi mesmo uma excelente manhã de Sábado, a que cerca de 30 treinadores / monitores de basquetebol, tiveram em Campo Maior. De certeza que todos saíram satisfeitos com a Acção de Formação desenvolvida por San Payo Araújo, responsável pela Comissão Nacional de Minibasquete da FPB.

O tema escolhido, "Ensinar a jogar... Ensinar a decidir...", é sem dúvida muito importante no desenvolvimento das crianças, e ficou muito bem demonstrado como devem trabalhar os técnicos / monitores presentes. San Payo Araújo, que recentemente esteve em Cabo Verde, cativou e de que maneira os minis do SCC, com exercícios variados e muita interacção com a pequenada.
A regra dos "4 passos, 4 olhos" ministrada pelo conceituado técnico, foi entendida pelos pequenos jogadores, servindo para que não se vejam os habituais aglomerados a pedir a bola. A posição ninja (posição defensiva básica), a contagem dos 10 segundos para se juntarem todos onde estava o treinador, a contagem dos passos em exercícios com elásticos, foram algumas das várias situações apresentadas por San Payo Araújo.

No final assistiu-se à entrega de prendas ao formador. Uma camisola do Campomaiorense, com o seu nome gravado nas costas, e um livro com a história do Clube, prendas entregues por alguns dos pequenos jogadores. Também houve uma prenda para o Director Técnico Regional do Alentejo, José Pedrosa, com a entrega do livro da história do Campomaiorense.
Em contrapartida, San Payo Araújo entregou ao dirigente do Clube, João Pinheiro, o Certificado que acredita o SCC como Escola de Minibasquete 2007/2008.

Parabéns a um Clube que tem vindo a evoluir no Basquetebol, e que pouco a pouco vai criando raízes, com o aumentar de praticantes nos escalões mais baixos.
A vila de Campo Maior deve sentir-se orgulhosa pelo trabalho desenvolvido ao longo de 7 anos, por umas pessoas que nunca pensaram conseguir que o Basquetebol pudesse ser alternativa desportiva. MAS CONSEGUIRAM-NO!

Uma Paixão, uma opinião pessoal!

Basquetebol - Péssima exibição do SCC


Foi uma exibição totalmente para esquecer a que teve o Campomaiorense no passado Sábado. De resto foi uma tarde muito atribulada em vários aspectos, pois a avaria num PT da EDP, condicionou e de que maneira o arranque da partida.
Primeiro o Pavilhão Rui Nabeiro estava a "meia luz". Depois conseguiu-se que a quase totalidade dos focos do pavilhão acende-se. No entanto, e após 3 minutos de jogo, a luz foi-se mesmo de vez, e houve a necessidade de mudar o jogo para o pavilhão da Escola Secundária de Campo Maior. Mais problemas, pois o material necessário para a realização de jogos de basquetebol, há muito que não é utilizado neste pavilhão, tendo retardado um pouco mais o jogo.

Depois de se conseguir resolver tantos problemas logísticos, esperava-se que a equipa do SCC fizesse uma boa partida. Puro engano! Os "galgos" estiveram simplesmente irreconhecíveis. A equipa defendeu mal, atacou pior, esteve completamente desconcentrada, provavelmente a pensar no facto de defrontar o último classificado, e num campeonato tão equilibrado, nunca se pode pensar que a vitória está garantida.
Assim foi, com o Pedro Nunes a mostrar muita organização para esconder as limitações de alguns jogadores. Surpreendente a forma como, desde o aquecimento até aos estiramentos após o final do jogo, mostrou ser uma verdadeira equipa.

Para que se veja como correu o jogo, os parciais foram 20-30, 13-18, 16-18 e 11-10. Só no último o Campomaiorense venceu e já quando estava tudo decidido. Muito pobre a exibição de uma equipa que em nada se mostrou como tal. O técnico Pedro Sereno não conseguiu colocar a equipa a render como pretendia, tendo havido erros na interpretação do jogo. Nunca a equipa conseguiu ultrapassar a defesa zona do Pedro Nunes, e os inúmeros erros perto de cesto, "arrumaram" definitivamente com o encontro.
Do lado contrário uma equipa que sempre esteve tranquila e que contou com um elemento, o número 6, que "apenas" marcou 29 pontos, com 5 triplos concretizados para um total de 8 da equipa. Foi o elemento que aniquilou totalmente as esperanças que o Campomaiorense teve quando ainda se aproximou a 8 pontos de diferença. Vitória justíssima do Pedro Nunes, premiando sem dúvida a melhor equipa em campo.
Arbitragem com erros, mas tendo nota positiva.

Esperemos que tenha sido apenas uma má tarde do Campomaiorense, pois esta equipa pode e deve mostrar muito mais do que no passado Sábado. Para isso muita coisa tem de mudar, mas isso são coisas que no seio da equipa se devem resolver.

Marcadores do SCC: Pedro Carranca - 8 pontos, Gonçalo Piçarra - 0 pontos, Rui Fonseca - 5 pontos, Radu Spînache - 1 ponto, Bruno Metelo - 8 pontos, Tiago Oliveira - 11 pontos, Bruno Pedro - 2 pontos, André Clérigo - 0 pontos, Tiago Pires - 1 ponto, Gonçalo Roxo - 0 pontos, Nuno Soutino - 0 pontos, Orlando Milhano - 24 pontos.

Na próxima jornada o Campomaiorense desloca-se ao pavilhão do Salesianos OSJ. Partida que se antevê difícil, pois a equipa lisboeta mostra-se um osso duro de roer quando joga no seu reduto. O jogo está marcado para o dia 8 às 16 horas.

Uma Paixão, uma opinião pessoal!

sexta-feira, 28 de novembro de 2008

Escola Superior Agrária de Elvas


Não poderia adiar muito mais a elaboração de um post sobre a ESAE.
Já são 12 anos de Ensino Superior em Elvas, e ao longo deste tempo, a evolução da Escola tem sido assinalável.

Neste momento a ESAE tem um universo de 400 alunos, distribuídos pelos cursos de Engenharia Agronómica, Engenharia Agronómica (ramo Espaços Verdes), Enfermagem Veterinária e Equinicultura no que respeita a Licenciaturas, Cursos de Especialização Tecnológica (CET's) e Mestrado em Agricultura Sustentável.
Parece que foi ontem o começo desta aventura dos "agrários" numa cidade sem Ensino Superior, sem qualquer tipo de tradição académica!
Foi um começo com pouca gente, situação que fazia pensar a NEGA de Elvas à vinda da ESAE. Felizmente nestes 12 anos de vida tudo mudou e a nota é bem positiva. Creio mesmo que neste momento já não podermos passar sem os "agrários" à nossa volta. Ainda bem que assim é, pois sente-se que a ESAE já se vai identificando com Elvas.

Foram várias as instalações que tiveram de utilizar, até que no primeiro semestre do ano lectivo 2004/2005, os estudantes mudaram-se para a morada definitiva, o Quartel do Trem. No primeiro semestre do ano lectivo de 2005/2006 aconteceu a transferência dos Serviços Administrativos, Biblioteca, Gabinetes de Docentes, Relações Públicas, Serviços Académicos, Associação de Estudantes e Conselho Directivo, que anteriormente funcionavam na Rua de Alcamim.
Neste momento os "agrários" contam nas suas instalações com 1 anfiteatro grande, com cerca de 150 lugares, 1 biblioteca, 7 salas de aula convencionais com capacidade para 30 alunos cada uma, 2 salas de aula convencionais para 60 alunos cada uma, 2 salas de informática com capacidade para 24 alunos cada uma, 1 oficina técnica polivalente, 5 áreas laboratoriais com gabinetes e arrumos de apoio, 20 gabinetes para professores com capacidade para cerca de 34 docentes, áreas destinadas à Direcção, Conselho Científico e Serviços Administrativos, associação de estudantes e bar. Ou seja, uma maravilha :)

Desta forma recuperou-se um "mono" da nossa cidade, condenado ao abandono total, ou então fazendo parte da recente lista de imóveis militares à venda pelo Governo.
Foi um acerto total a passagem da ESAE para o Quartel do Trem. O único senão é a necessária pintura da fachada do Quartel do Trem. Está feio :(

E porque não aproveitarmos outras instalações militares e "puxarmos" mais Ensino Superior para Elvas? Penso que seria fundamental incrementar a oferta académica na nossa cidade. Seria uma mais valia com vista a conseguirmos que empresas se possam fixar por cá, aproveitando os Doutores e Engenheiros que Elvas pudesse lançar no mercado de trabalho.

Continuando com a ESAE, não me posso esquecer da recuperação do antigo Hotel Alentejo, agora Residência de Estudantes. A unidade conta com 74 camas divididas por 6 quartos triplos, 17 duplos, 22 individuais e um quarto para deficiente. Cada piso está equipado com uma pequena cozinha de apoio. Os alunos residentes têm ainda ao seu dispor uma sala de convívio e uma biblioteca/sala de estudo.
Para os Elvenses com mais de 30 anos, de certeza que se recordam do antigo Café Alentejo. Quem não se lembra de passar debaixo dos arcos, serpentear as cadeiras da esplanada, dar uma espreitadela às capas das revistas à entrada, ou há mais tempo entrar na Cave, onde estava a sala de jogos? Bons velhos tempos... :)
O Café é agora a Cantina para os Estudantes, uma unidade moderna e funcional com capacidade para 82 lugares.

A ESAE, mais concretamente o Instituto Politécnico de Portalegre, está de parabéns!
É a primeira instituição pública portuguesa de ensino superior certificada na sua globalidade. A certificação EN ISO 9001:2000 concedida ao Sistema de Gestão da Qualidade, abrange os processos relacionados com a formação, a investigação e o desenvolvimento científico e tecnológico, em todas as unidades orgânicas do IPP.

Querem mais qualidade? Não dá :) Venham daí mais alunos para que a comunidade académica seja cada vez maior. Elvas ganha com isso, assim como a ESAE.

Resta-me desejar aos alunos todo o sucesso do Mundo. Estudem, divirtam-se, pois faz parte da vida académica, mas sejam conscientes SEMPRE!

Uma Paixão, uma opinião pessoal!

quinta-feira, 27 de novembro de 2008

O problema do Estacionamento


Muito se falou, se tem falado, e se falará do Estacionamento em Elvas. Foram vários os blogues que apresentaram este assunto, e eu apenas irei postar a minha perspectiva.
O problema é diferenciado, pois nos bairros exteriores ao Centro Histórico a situação é menos preocupante, mas na zona intra-muros as complicações são mais que muitas.

Além de que são vários os tipos de pessoas que têm necessidade de estacionar o carrinho, como os residentes, os que trabalham no centro histórico, os que simplesmente vão às compras, ou os visitantes interessados em conhecer a nossa cidade.
O problema é comum a estes grupos, mas as necessidades são distintas para cada um.

Temos de ver que os residentes são claramente os que tem o problema mais complicado de resolver. A Câmara aos poucos foi retirando lugares disponíveis nas diversas artérias da "cidade", situação que até concordo para despoluir e embelezar a zona histórica. Certo é que em alguns casos não foi bem sucedida, como por exemplo o tão falado Largo da Misericórdia... Mas a eliminação de lugares para estacionar no centro histórico, não pode ser uma decisão a pensar exclusivamente na requalificação da zona. Há que pensar também nos residentes, pois assim só se agrava o problema da desertificação da "cidade".
Todos gostamos de ver o pópó o mais perto da porta de casa, e convenhamos que em muitas zonas do centro histórico a tarefa é manifestamente impossível.

Para quem vive nos bairros mas tem o seu trabalho na "cidade", o problema é parecido, pelo menos durante 8 ou mais horas por dia. Todos tentam colocar o carro o mais perto do seu trabalhinho, e só vão para os parques como último recurso. Primeiro pelo comodismo exagerado que temos, pois não gostamos ou queremos andar muito. Segundo porque se fizermos contas, o parquímetro leva-nos uma boa quantidade de euros por mês, e com a malfadada crise que há...

O Parque Subterrâneo José Rondão Almeida veio dar alguma resposta a estes problemas, com 240 lugares distribuídos por 3 pisos, numa obra que custou à Câmara cerca de três milhões e meio de euros. Foi um investimento assinalável "para colmatar a falta de estacionamento para quem pretende demorar pouco tempo no centro histórico", como disse o Presidente da Câmara. Para os que trabalham no centro histórico, os que vão às compras ou os turistas, esta é uma boa solução.
Os preços é que poderão não ser os mais apropriados para a carteira! Daí sermos tantos a tratar de evitar estacionar no Parque para poupar o euro da praxe...
Será que tamanho investimento trouxe a satisfação de todos? Haverá respostas para todos os gostos. Eu penso que sim, pensando em especial na ideia de resolver a falta de estacionamento para quem pretende demorar pouco tempo no Centro Histórico. No entanto é uma solução cara!
A Câmara tem de tirar "talhada" deste problema, pois com investimento, tem de haver contrapartidas. É legitimo, e qualquer cor política na Câmara faria o mesmo.

Com a eliminação de lugares disponíveis, e os custos que podem trazer os estacionamentos nocturnos nos diversos parques, creio que haverá quem pense em vender o seu carro. O preço de deixar o pópó mensalmente no Parque Subterrâneo é tão elevado, que fazendo contas por alto, alguns dos utentes deixam de contar com um dos seus ordenados durante o ano para estarem tranquilos.
O Parque Subterrâneo, o Parque do Mercado Municipal, o fosso ao lado da ESAE, o Parque da Shell, ou o Parque do antigo mercado, não resolvem o problema para os residentes das ruas centricas. Para agravar isto temos os "amigos do alheio", que chamam um "figo" deixar o carro longe dos olhares dos proprietários, para assaltarem com mais à vontade.

Outra situação é a falta de civismo de alguns com o deixar o carro em segunda fila para ir às compras. Torna-se por vezes necessária a intervenção da PSP para solucionar o problema, e depois há a normal ronda dos agentes pelos parques a ver quem tem o ticket à vista, ou se está ainda dentro do horário que pagou. É a habitual caça à multa, que é legitimo e há que sancionar os infractores. Mas por culpa da falta de civismo, aqueles que chegam uns minutos depois da hora que marca o ticket "levam" com os agentes da autoridade. Há uns que aceitam as desculpas e deixam passar a infracção, mas há outros que não. Com isto não digo que deveriam fechar os olhos constantemente, mas tem de haver sensibilidade para ver que há situações que podem ser perdoadas.
Tudo isto "enerva" mais o problema e creio que com bom senso se podem evitar. Mais quando a crise aperta, e todos contamos os cêntimos para chegar ao fim do mês...

Este problema tem pano para mangas não acham?

Uma Paixão, uma opinião pessoal!

quarta-feira, 26 de novembro de 2008

Minibásquete em Campo Maior


Esta semana ando com a Paixão do Basquetebol, e por isso vou fazer novo post.
No próximo Sábado dia 29 de Novembro pelas 10h30, via haver uma Acção de Formação de Minibásquete no Pavilhão Rui Nabeiro, em Campo Maior.
A Acção, aberta a todos os interessados, pais, professores, treinadores e animadores de minibásquete, tem o tema "Ensinas a jogar... Ensinas a decidir...", e foi o tema apresentado na Alemanha, no 4º Get Together U-14 da FIBA Europa, pelo Coordenador Nacional do Minibásquete, San Payo Araújo.

A parte prática será efectuada com os Minis do S.C.Campomaiorense, que muitos motivos de satisfação trouxeram ao clube. Isto porque o SCC se tornou numa das Escolas de Minibásquete nacional, cujo Diploma será entregue no decorrer desta Acção de Formação.

Vai ser muito interessante ver ao vivo o trabalho desenvolvido com as crianças, por uma pessoa como o San Payo Araújo. Se os mais adeptos pelo basquetebol se recordam, as brincadeiras com crianças que assistimos na Final 8 da Taça de Portugal em Elvas, foram orientadas por um homem que tem dedicado toda a sua vida ao basquetebol para as crianças.
Figura ímpar do basquetebol nacional, que todos deveriam ouvir e ver.
Aqui vos anexo um video que esclarece quem é o San Payo Araújo, e o que é o Minibásquete.

O convite está feito, tendo a certeza que todos irão dar por bem empregue a manhã com crianças em Campo Maior.

À tarde é a vez da minha equipa entrar em campo. Espero vê-los por lá!

Uma Paixão, uma opinião pessoal!

terça-feira, 25 de novembro de 2008

"O Elvas" - Maurodependência?


Apesar dos Azul e Ouro terem feito uma excelente partida a passada semana na Camacha, e uns bons 10 minutos iniciais no jogo contra o 1º de Dezembro, voltámos a perder. A desilusão dos adeptos era notória na saída do Campo Patalino.

A exibição da equipa depois dos primeiros 10 minutos, caiu a pique. Maus passes, más recepções, nervosismo, e com erros tácticos que não se entendem. Houve várias situações em que tínhamos os jogadores de meio-campo num raio de 5 metros, em verdadeiros aglomerados. Assim, tacticamente a equipa não poderia construir o jogo de ataque, e a defesa via-se com apuros nos contra-ataques adversários.

Os elementos da Tribo Azul e Ouro comentávamos que seriam favas contadas pelo início de jogo, e a vitória seria certa. No entanto enganámo-nos!

Então a que se deve tamanha mudança de comportamento de uma equipa candidata à subida? Pois, ainda penso que somos!
Não será muito difícil de explicar, pois nota-se muito a Maurodependência. É mau, e não pelo valor do grande avançado brasileiro, que espero ver muitas épocas no Colosso, mas porque faltando um elemento importante, a equipa não rende da mesma forma. Era difícil dois jogadores baixos como o Toni ou o Jacó, poderem fazer melhor no meio das torres do 1º Dezembro. No entanto a equipa insistiu em cruzar bolas para a área, onde nitidamente não tínhamos qualquer hipótese. Estando o Mauro em campo a história provavelmente seria outra...

Penso que o scoutting (análise do adversário) por parte da equipa técnica d'"O Elvas" para este jogo foi feito, e de certeza que sabiam como jogava o adversário e que tipo de jogadores tem. Ou talvez não...
Isto porque em 90 minutos tivemos poucas oportunidades de golo, fomos a equipa que mais tempo de posse de bola teve, que mais tentou atacar, mas sem resultados práticos.
Indiscutivelmente a qualidade dos jogadores d'"O Elvas" é muito superior à do adversário, mas jogou-se mais com o coração do que com a cabeça.
Devo também acrescentar que as alterações do técnico Paulinho penso não terem sido as melhores. Para o jogo que foi, o Eduardo Carranca deveria ter jogado. Reforço esta ideia com o facto do Lourinho ter dado o "estoiro" algum tempo antes de finalizar a partida, e o ataque pelo lado direito d'"O Elvas" ter ficado desta forma muito condicionado.

Para acrescentar a esta má prestação Azul e Ouro, a forma inesperada como aconteceu o golo do 1º Dezembro. O guarda-redes Godinho saiu para pontapear uma bola no lado direito fora da área, e colocou-a milimétricamente nos pés de um adversário, que com um excelente remate desde o meio-campo, colocou a bola nas redes d'"O Elvas".
Primeiro o Godinho teve azar no pontapé, mas também poderia ter colocado a bola fora de campo. Segundo, a necessária compensação na baliza com a saída do guardião, não foi feita pelos defesas. Mais um erro táctico da equipa.

E assim se foram três pontos de Elvas, numa má tarde do Colosso, que espero tenha sido a última esta época.

Uma Paixão, uma opinião pessoal!

segunda-feira, 24 de novembro de 2008

Mau começo ditou derrota


C.D.Pinhalnovense – 63
SCC/Delta Cafés – 51

Derrota na visita ao pavilhão da única equipa invicta na Zona Sul/A, o Pinhalnovense. O resumo da partida faz-se no mau desempenho do Campomaiorense durante o primeiro período.
Um parcial de 22-7 não abona a favor dos “galgos”, com uns dez minutos literalmente para esquecer. A equipa entrou no jogo “fria”, sem intensidade e totalmente baralhada no jogo de ataque. Para “ajudar”, os lances-livres também não eram concretizados, aumentando o desespero dos de Campo Maior.
O Pinhalnovense entrou muito forte, como que a tentar resolver a partida a seu favor nos minutos iniciais. Conseguiu-o! Trata-se de uma boa equipa, bem estruturada, com jogadores experientes, tendo um forte lançamento exterior. Apesar do desconto de tempo pedido pelo treinador aos 7 minutos, o Campomaiorense continuou a errar no ataque, com más escolhas no lançamento e lenta recuperação defensiva após perda da posse de bola.
Muito negativo se punha o futuro deste jogo, mas houve reacção no segundo período. Parcial para os da casa mais normal, 16-14, que pelo menos equilibrava um pouco o jogo, e acalmava o desnorte alentejano. Ao intervalo um 38-21 para o Pinhalnovense, que premiava a intensidade no jogo dos da casa e o mau começo de jogo alentejano.

A esperada reacção dos “galgos” surgiu no terceiro período, com um parcial favorável de 11-16. Boa defesa, conquista do ressalto defensivo, melhores escolhas no lançamento, mais concentração e intensidade foram as premissas para esta tentativa de ressurgimento do Campomaiorense. Digamos que este período “baralhou” um pouco a expectativa de triunfo fácil dos da casa, e os 12 pontos de diferença, não eram margem tranquilizante. No período final o Campomaiorense voltou a não entrar bem no jogo, e o desconto de tempo aos 3 minutos tornou-se necessário. Reagrupar das tropas, e os “galgos” voltaram a fazer tudo para ir anulando a desvantagem no marcador, mas pela frente esteve uma equipa que soube gerir o jogo. Quando o Campomaiorense esteve à beira de passar a barreira psicológica dos 10 pontos, pediu desconto de tempo, parando a recuperação e sentenciando assim o desfecho da partida, num resultado justo da melhor equipa em campo.

Apesar da derrota, o técnico do Campomaiorense poderá pelo menos estar satisfeito pela reacção positiva que a equipa teve, depois de uns péssimos 10 minutos iniciais.
Também se viu que o Pinhalnovense é uma equipa bem estruturada, mas ao alcance dos alentejanos.

Arbitragem com muitos erros, beneficiando claramente os da casa. Não que a sua actuação tenha condicionado o resultado final, mas ajudou. O critério não foi uniforme na marcação das faltas, e no final a dupla de arbitragem conseguiu equilibrar o número de faltas, com 16 para cada lado… Poucas vezes assinalaram a infracção dos passos de arranque que quase todos os jogadores da casa cometem. Se não tivessem beneficiado com os passos, nem se notavam, mas beneficiaram.

Marcadores do Campomaiorense: Pedro Carranca – 10 pontos; Gonçalo Piçarra – 10 pontos; Rui Fonseca – 0 pontos; Radu Spînache – 2 pontos; Bruno Metelo – 4 pontos; Tiago Oliveira – 12 pontos; Bruno Pedro – 6 pontos; Tiago Pires – 0 pontos; Nuno Soutino – 0 pontos; Orlando Milhano – 7 pontos.

No próximo Sábado dia 29, os "galgos" recebem o Pedro Nunes, um dos últimos classificados da tabela. À partida o Campomaiorense é favorito, mas num Campeonato tão equilibrado, tudo pode acontecer.
O jogo está agendado para as 16 horas em Campo Maior, no Pavilhão Rui Nabeiro.

Uma Paixão, uma opinião pessoal!

sexta-feira, 21 de novembro de 2008

A (In)segurança


Este assunto é pertinente, pois cada vez mais nos apercebemos das ondas de assaltos que há por toda à parte. Elvas não foge a este problema, e infelizmente vai sendo comum ouvir que a loja ou a casa de tal foi assaltada. É um problema de certo complicado de solucionar.

Alguns trataram de resolver a insegurança pelas seus próprios meios, ou seja, contratar alguém que faça rondas nocturnas pelas zonas combinadas. Essa pessoa passa a noite às voltas em viatura própria e com atenção ao telemóvel, não vá algum dos vizinhos da sua área de jurisdição ligar por haver problemas.
E como reage esta pessoa se vê uns larápios invadir alguma casa? Pode abordá-las com algum pau ou outro objecto e tentar proteger os bens de quem o contrata? Não acredito, pois hoje em dia qualquer pessoa tem acesso a armas de fogo, já para não dizer as tradicionais armas brancas, e o dito segurança pode ter uma surpresa desagradável.

Também já houve quem pensasse em contratar uma empresa de segurança, mas como a crise está instalada e para durar, de certo essa ideia não será barata, ficando-se assim pelas intenções.

Se estas não são as soluções ideais para que sintamos segurança à noite, então que fazer? Exigir reforço policial por toda a cidade? Creio que a Secção de Elvas da PSP não tem efectivos suficientes para patrulhar tantas ruas e bairros. Mas tenho a certeza que há policias em número suficiente, para não haver apenas UMA viatura a vigiar os nossos interesses.
É da responsabilidade da PSP garantir a nossa segurança, mas não estou a ver algum reforço de agentes na nossa cidade. É Elvas, não é Lisboa ou Porto...

Poderá a Câmara ter um papel interventivo neste problema? Na minha opinião penso que sim, pois já houve a ideia de criar a Policia Municipal, e esta poderia ser uma boa ajuda. Instituindo uma cooperação com a PSP, creio que iríamos todos beneficiar. Além do mais, seriam criados alguns postos de trabalho, reduzindo um pouco a Taxa de Desemprego elvense. Claro está que falamos de Polícia Municipal a sério (ver revisão feita pelo Governo, através do Decreto-Lei 197/2008).
Segundo diz a Revisão Constitucional, "as Polícias Municipais cooperam na manutenção da tranquilidade pública e na protecção das comunidades locais".

Não é isto que queremos?

Uma Paixão, uma opinião pessoal!

quinta-feira, 20 de novembro de 2008

Os Velhos Edificios da Cidade


Apenas um esclarecimento inicial. O Três Paixões não foi criado para maldizer, criticar e mostrar que tudo está mal. Muito pelo contrário, mas penso que todos estamos no dever de dizer o que não está bem, com a única e clara intenção de se corrigir. Creio que todos juntos podemos e devemos fazer mais e melhor pela terrinha!
Elvas a minha Cidade é uma das Paixões, e os leitores do blogue vão-se habituar a ler posts em que se aponta o dedo a determinada situação, mas dando ideias, notas ou sugestões que possam ser importantes para a solucionar. Continuarei fiel ao post inicial do blogue, ou seja, não entrarei no falatório político. O Três Paixões dará ideias para melhorar Elvas, seja qual for a cor partidária na cadeira do poder da Rua Isabel Maria Picão.
Tendo esclarecido esta situação, vamos ao que interessa.

O post de hoje é sobre os velhos edifícios existentes no Centro da Cidade que se encontram em elevado estado de degradação, e que põem em perigo a nossa integridade física.
Já se falou muito sobre este assunto, mas vejo prédios a degradarem-se de dia para dia e preocupa-me. Não será fácil resolver isto, pois os imóveis são na sua maioria propriedade de particulares. Então o que fazer?
Relembro a situação do prédio em frente às Portas de Olivença. Estava num estado lamentável e perigoso, derrubou-se e construiu-se um novo imóvel, moderno e seguro, que deu origem a habitação e lojas.
Não conheço as casas por dentro, mas os comentários que tenho ouvido são favoráveis.
Sendo assim, porque não se faz o mesmo com vários que também são um perigo para os cidadãos? Não sou jurista, mas haverá alguma lei que obrigue os proprietários a vender os imóveis, caso o estado de conservação dos mesmos não seja o melhor? Deixo a pergunta no ar...
Olhando numa perspectiva comercial, acredito que a aquisição dos imóveis para posterior recuperação, até possam render bons dinheiros ao comprador, seja a Câmara ou um empreiteiro. E mais dentro do contexto actual de crise, em particular a imobiliária, pois a recuperação dos prédios, poderiam originar casas e lojas como as que indiquei acima e que tiveram bastante procura. Há muitas pessoas que gostariam de viver na zona intra-muros, mas o estado actual das casas não aconselha tamanho risco económico. Claro que os preços deveriam ser mais baixos que a média actual praticada em Elvas, que é elevadíssima. Esta seria uma forma de evitar o "despovoamento" do Centro Histórico.

Uma Paixão, uma opinião pessoal!

quarta-feira, 19 de novembro de 2008

Que Cinema temos em Elvas?


É uma pergunta pertinente, pois penso que a larga maioria dos elvenses não saberia responder. Isto porque é confrangedor ir algumas (muitas) vezes ao Cine-Teatro, e assistir a filmes com a companhia de 2/3 pessoas na sala.
É verdade, pois eu próprio presenciei isso. Não que agora tenha muitas possibilidades de ir ao Cinema durante a semana. Entre os treinos da minha equipa, e as idas ao Centro de Treino e Relaxamento, que eu aponto no Blog como Vale a Pena :), fico com pouco tempo para poder desfrutar com um dos hobbies mais apreciados de todos.
No entanto vou aproveitar para colocar umas notas pertinentes sobre este tema.

Não me parece que o Cinema seja vantajoso nos moldes em que nos é apresentado pela Câmara. Certo é que se não fosse a edilidade, ainda não tínhamos a oportunidade de ver filmes fora de casa, mas só para alguns.
Sim, para alguns! Só os que são verdadeiros amantes da 7ª arte se deslocam com frequência ao Cine-Teatro. A grande maioria vai a Badajoz assistir a filmes que acabam de se estrear, pois esses demoram meses a chegar à nossa cidade. Veja-se o exemplo do filme em cartaz esta semana, Tempestade Tropical, que teve a estreia nacional no dia 18 de Setembro...

Acontece que há muita gente que prefere ver os filmes na versão original legendada, é o meu caso, em vez de estar a ouvir a dobragem em castelhano assistida do lado de lá da fronteira. Mesmo assim vamos lá, e com preços verdadeiramente exagerados. Mais de 5€ por cabeça é fruta. Por cá a Câmara estipulou o preço de 3€, que convenhamos ser mais justa à realidade actual das nossas carteiras. Em Badajoz também temos de pagar as condições das salas existentes, modernas e próprias para a exibição de filmes.

Para mim o problema assenta claramente na qualidade do serviço apresentado aos cinéfilos elvenses. Dois dias por semana, Quintas e Sextas, creio não serem um grande chamariz para os espectadores. A Câmara não aproveita os fins de semana para fazer deslocar à sala de cinema mais gente, que é quando por exemplo em Badajoz, há mais filas de pessoas a comprar bilhete. As matinés poderiam dar uma grande ajuda, por exemplo no pagamento das pessoas indicadas pela Câmara para preparar o Cine-Teatro.
Creio que se pretende tirar o máximo rendimento dos serviços colocados à comunidade. Então devem olhar para o Cinema de uma forma diferente, e não apenas para que ninguém aponte o dedo à falta dele.
Outro pormenor, e isto para os mais "esquisitos", é o barulho que a máquina de filmar faz. Num filme de acção quase nem se nota, mas em filmes mais calmos a maquineta poderá enervar mais que um...
Apesar de o Cine-Teatro contar com um bom Ar-Condicionado, ser uma sala com boas condições, definitivamente não é uma sala de cinema. Então porque não passar os filmes para o Museu da Fotografia? Já lá assisti a vários filmes, e como acontecia há largos anos atrás com o Cine São Mateus, o Cinema é outro!

Há que repensar na estratégia a desenvolver por parte dos responsáveis da área cinematrogáfica elvense. A sala, a demora dos filmes chegarem a Elvas com estreias nas principais cidades portuguesas 2/3 meses antes, os dias de Cinema não se aproveitando os fins de semana, são notas que creio serem de necessária observação.

Uma Paixão, uma opinião pessoal!

terça-feira, 18 de novembro de 2008

Ressurge o Colosso Azul e Ouro?


Empate com sabor a vitória d'"O Elvas" no campo do líder Camacha, que muito nos anima como adeptos.
Segundo podemos ouvir através da Rádio Elvas, o Clube Alentejano de Desportos parece outra equipa. Porquê? Simplesmente porque o plantel que "O Elvas" tem não estava bem gerido. Foram colocados os melhores nos sítios certos, e assim só podemos ver uma equipa que pode efectivamente "atacar" a subida.
No entanto não posso deixar de falar do que sucedeu desde o final da época passada até aqui.

Como adepto d'"O Elvas" penso ter sido totalmente desnecessária a troca no comando técnico da equipa sénior. O Paulinho não conseguiu a subida, é verdade, foi decidido pela Direcção que não deveria continuar, foi-se buscar o Luís Roquete e passadas sete jornadas voltamos a pedir ao Paulinho que comande a nau azul e ouro.
Ainda por cima o clube contratou jogadores para reforçar uma equipa já por si forte, equilibrando alguns sectores onde a equipa poderia estar mais desequilibrada.
Temos o melhor plantel dos últimos anos, que com o conhecimento total dos jogadores da época passada por parte do Paulinho, só poderíamos esperar uma época cheia de êxitos.
A Direcção não pensou da mesma forma e tentaram uma lufada de ar fresco com a entrada do Luís Roquete. A decisão com o tempo mostrou-se totalmente errada. Um candidato à subida que em 7 jornadas venceu 2 jogos e foi derrotado por 5 vezes, só poderia dar em divórcio com o técnico.
Nada tenho contra o Luís Roquete, pois li e ouvi por diversas vezes os jogadores do clube elogiarem a pessoa. Comento apenas como adepto os erros do técnico. A equipa nunca se mostrou equilibrada, as decisões do técnico não foram as melhores, e tudo isto fez com que "O Elvas" esteja actualmente a 9 pontos da liderança.

Numa análise rápida em relação aos gastos que a troca de treinador causou ao clube, temos de pensar que houve a necessária indemnização ao Luís Roquete, e resta saber se o Paulinho não forçou o clube a alargar os cordões à bolsa. De o ter feito, é legitimo, pois voltámos mais uma vez a bater-lhe à porta. É com os erros que todos aprendemos, mas estes custam dinheiro, coisa que não abunda para a Rua dos Chilões.
Agora que parece ter tudo voltado ao normal, vamos todos juntos trabalhar no sentido de colocar o Colosso Azul e Ouro no lugar que merece, o PRIMEIRO!

Contem com o apoio dos sócios e simpatizantes, que será o que podemos fazer.
Como elemento da Tribo Azul e Ouro, digo que estaremos SEMPRE PRESENTES, nos bons e nos maus momentos.

Jogadores, Técnicos, Departamento Médico e Direcção, façam com que sintamos ORGULHO!

Uma Paixão, uma opinião pessoal!

domingo, 16 de novembro de 2008

Basquetebol - Na senda das vitórias

SCC/Delta Cafés - 66
CIBA - 63

Segunda vitória consecutiva do Campomaiorense, desta feita frente ao CIBA, equipa da Amadora.
Desfecho justo da equipa que sempre esteve no comando do marcador, apesar do "apertado" resultado final.
Os "galgos" apresentaram-se com algumas baixas no que respeita ao jogo perto do cesto, já que não poderam estar presentes os postes Orlando Milhano, Bruno Pedro e Gonçalo Roxo. No entanto a ideia de vencer a partida nunca foi posta em causa.
Boa entrada no jogo dos da casa, com destaque para o extremo Pedro Carranca, pois foram seus 9 dos 18 pontos que a equipa marcou no primeiro parcial. Mesmo assim o CIBA conseguiu responder e no final dos primeiros dez minutos o SCC comandava por 18-15.
No segundo período, e com as habituações rotações de jogadores por parte dos dois técnicos, o jogo manteve a mesma toada, ou seja, o Campomaiorense a controlar as operações, não permitindo nenhum volte face por parte do CIBA. Segundo parcial vitorioso para os "galgos" por 15-12, e ao intervalo o marcador registava um justo 33-27.
No regresso dos balneários, o CIBA entrou disposto a dar a volta no marcador, e apesar de ter encurtado a diferença, com um parcial de 17-19 favorável no terceiro período, ainda manteve o Campomaiorense na liderança. Os da casa mostraram algum nervosismo com a melhoria do adversário, tendo havido nesta fase do jogo muita precipitação em ataque, com muitos erros em lançamentos fáceis. Defensivamente também houve alguma falta de intensidade, e com isto os da Amadora conseguiram equilibrar o resultado.
No derradeiro período o CIBA voltou a vencer o parcial, 16-17, mas nunca conseguiu passar para a frente do marcador. O Campomaiorense mostrou que conta com jogadores experientes, que controlaram a seu favor esta fase final da partida, casos do base Tiago Oliveira e do extremo Pedro Carranca. Os ataques foram bem trabalhados, procurando o jogador livre para lançar, e defensivamente a intensidade voltou. O máximo que o CIBA conseguiu foi o empate a 63, mas da mesma forma que aconteceu na passada semana em Évora, só o Campomaiorense marcou pontos até ao final. Dois lances-livres concretizados mesmo no fim, um por Gonçalo Piçarra, e outro por Radu Spînache, fixaram o resultado definitivo de 66-63.
Em resumo, o Campomaiorense venceu justamente e parece ter entrado definitivamente na senda das vitórias.
Arbitragem com erros, mas sem influenciar o resultado final.

No próximo Sábado os "galgos" vão ter uma saída difícil. Visita ao Pinhalnovense, que conta por vitórias os jogos disputados. O jogo chega em bom momento, com a ascensão na tabela classificativa por parte do SCC, e prevê-se um bom jogo. A equipa irá claramente a pensar na vitória, e desta vez irá apresentar-se na máxima força.

Uma Paixão, uma opinião pessoal!

sexta-feira, 14 de novembro de 2008

O Comércio Tradicional de Elvas


Todos sabem que o comércio tradicional de Elvas não passa pelos seus melhores momentos!
A fase da venda de toalhas e afins aos espanhóis acabou há muito, e a maldita crise mundial também se instalou na nossa cidade. No entanto as culpas para que a vida do comércio tradicional não seja melhor, devem-se a vários factores e não só à malfadada crise.
Na minha opinião penso que os horários para as lojas estarem abertas, estão totalmente ultrapassados. Este é o principal problema, pois o comércio não acompanhou as alterações da forma como vivemos o dia-a-dia. Isto é, não nos é possível podermos ir comprar uma lâmpada, um parafuso, um jornal, ou outra coisa qualquer, se os nossos horários de sair do emprego são iguais aos do comércio.
Antigamente a grande maioria das famílias não tinha a necessidade de ter os cônjuges a trabalhar. Hoje em dia as coisas não são assim, e ainda bem para realização pessoal das duas partes, pois para poder fazer face a tantas despesas que temos de pagar, ambos devem ter um emprego. Sendo assim, como podemos fazer alguma compra no comércio tradicional?

Não fazemos, e viramos-nos para os hiper-mercados. São eles os beneficiários desta situação, pois o fecho de portas estar agendado para as 10 da noite, faz com que estejamos à vontade para podermos efectuar alguma compra urgente para casa. Já para não falar dos fins de semana, com a debandada quase geral para Badajoz.

Mas não são só os horários que levam a não haver clientes no comércio tradicional. Os preços são, em muitos casos, mais caros que nos hiper's. Tem a sua lógica, pois é impossível ao comércio tradicional poder combater os gigantes Modelo, Intermarché, Lidl, Minipreço, que existem na nossa cidade. Para esta situação os comerciantes devem fazer uma grande ginástica, que respeito imenso, pois tenho a certeza que não é fácil.

Então que fazer? Esperar de braços cruzados que os clientes apareçam? Não penso que seja possível, pois o hábito de ir ao hiper está cada vez mais enraizado em todos nós. Penso que uma das soluções será mudar os horários das lojas estarem abertas ao público. Poderia ser tipo abrir as 10 da manhã, fechar às 14h, reabrir as 16h e acabar o dia às 20h. Penso que não será muito complicado e é uma ideia. Lógico que tem de haver diferenças entre horário de Verão e de Inverno, e entender que no Inverno o pessoal quer estar com as pantufas calçadas e gozar da comodidade do lar.

Aproveitar os fins de semana creio ser uma boa hipótese. Para isso há que "puxar" a clientela para a zona histórica. Sem a ajuda da Câmara, com a realização de eventos para chamar a atenção das pessoas, será complicado!
Temos uma zona histórica lindíssima, cheia de comércio tradicional ao qual damos valor, pois duvido que haja pessoas que pensem o contrário, mas simplesmente desaparecemos para os hiper's.
Todos nós ouvimos amigos a comentar "já não me lembro da última vez que fui à cidade". Acho que mais claro impossível.

Uma Paixão, uma opinião pessoal!

quinta-feira, 13 de novembro de 2008

A "noite" de Elvas

Depois da criação dos 4 bares exteriores no Coliseu, podemos falar agora em como está a noite da terrinha!
Há gostos para todos, mas muito sinceramente penso que os bares Republika, Kappa, Charlotte e Pause, recentemente inaugurados, estão vocacionados para os mais jovens.
Não é que eu não me considere um jovem claro, mas por vezes não há paciência para "aturar" os miúdos. E digo isto porque também tento ser frequentador da zona.

Na conhecida zona da Cidade Jardim temos o Mantas, o meu local de referência :), Kahlua, Nautilus, Gao's e Republica, que continuam a funcionar normalmente.
Como todos sabemos esta era a zona principal da "noite" elvense. No entanto as continuas queixas dos moradores, e a chegada do Coliseu com a criação dos bares exteriores, podem ter "arrumado" com esta zona.
Foi polémica esta situação, com a Câmara a querer que os proprietários destes bares mudassem para o Coliseu, tendo obtido inicialmente respostas negativas. No entanto, e ainda não sei como, convenceu três proprietários a mudar. Melhor dito, a abrir também no Coliseu, pois todos continuam com as portas abertas. Será comportável manter dois bares abertos? Só eles saberão, mas com a crise que temos acho pouco provável!

Na cidade temos o T-Wine, agora reaberto e com algumas alterações que melhoraram significativamente as suas já boas condições, e o Tex-Mex.
O T-Wine optou por abrir apenas nas Sextas e Sábados regularmente, e a primeira Quinta-Feira de cada mês, com música ao vivo. A iniciativa saúda-se e espero que tenha êxito!

Também não me posso esquecer do Moto Clube Alentejano, recheado de bons amigos, e até agora o único espaço aberto até às 4 da manhã.
O MCA logicamente acusou a abertura dos bares no Coliseu, mas já sei que ideias para "puxar" pessoal não faltam e serão bastante atraentes. Deixo para o pessoal do MCA a divulgação dos diversos eventos que pretendem realizar :)

Resta agora saber se mesmo assim estamos contentes! Creio ainda não haver uma total satisfação na zona do Coliseu, os bares da Cidade Jardim claramente perderam clientela, o T-Wine conta com um grupo de clientes fieis mas não os suficientes, assim como o Tex-Mex. E continua a haver muita gente a deslocar-se a Badajoz...

É neste ponto que me fixo, Badajoz. Andamos a falar que a nossa zona intra-muros está "morta", que temos de fazer algo para a ressuscitar, mas continuamos sem fazer nada. Dois bares nocturnos continuam por lá, o T-Wine e o Tex-Mex, mas nem por sombras se pode pensar em ter os espaços abertos depois das 2 horas.
Em Badajoz as coisas não funcionam da mesma forma, pois é na zona da Catedral em pleno centro, onde continuam a haver bares de referência da noite pacense, como por exemplo o Mercantil.

Creio que com a debandada dos mais jovens para a zona do Coliseu, os não tão jovens poderiam ter na zona da cidade motivos de interesse para fazerem a sua "noite".
Tirando algumas excepções (há sempre), penso que a maioria deste grupo etário está para beber o seu copo, ouvir boa música e ter conversas com amigos que só os podem encontrar nos fins de semana.
Na situação actual e devido ao anunciado fecho a partir da meia noite dos bares da Cidade Jardim (digo anunciado pois continua tudo igual), resta-nos o T-Wine ou o Tex-Mex para podermos estar no nosso ambiente, mas só até às 2 da manhã! Depois disso ou vamos para o Moto Clube, ou pra caminha, ou então ainda tentamos a sorte nos bares do Coliseu...

Uma Paixão, uma opinião pessoal!

terça-feira, 11 de novembro de 2008

Escola Secundária D. Sancho II - Parte 2


Ontem foquei um tema quente sobre a Escola, e hoje vamos a outro.

Penso que este assunto é bem mais preocupante que o de ontem, e trata-se da péssima classificação da D.Sancho II no ranking das escolas nacionais feito pelo Correio da Manhã. Os rankings são elaborados tendo em conta os resultados dos exames nacionais publicados no site do Ministério da Educação.
Ficar classificado na posição 531ª em 605 escolas, de certeza que faz pensar no sistema educativo implementado na D.Sancho II.
A média obtida foi de 93,91 (9,39), ou seja, direito a NEGA!
Pior ainda o facto de em termos do distrito de Portalegre, a D.Sancho II ter ficado na quinta posição de oito escolas concorrentes.
Tenho a certeza que o post de hoje tinha pano para mangas, mas também é para isso que aqui estamos! Penso que será importante falar sobre a Escola, pois é dali que vai sair o futuro da nossa cidade, tanto que se fala agora nisto.
O que fazer para melhorar a qualidade do ensino em Elvas?
Sinceramente creio que haver mais rigor e disciplina seria um bom começo. Criar hábitos de estudo seria outra ideia, pois os miúdos cada vez mais andam "agarrados" aos PC's, às Play Station's, e outros vícios mais perigosos!

Mas para que isto possa ter sucesso, pede-se que em casa os pais tenham os mesmos procedimentos, situação que infelizmente sabemos não acontecer em todas as lares!
São preocupantes as notas que os alunos neste momento atingem, e parece que há pais que se estão nas tintas, pois os meninos continuam a fazer o que bem entendem.
Há preguiça para estudar, se não se entendem com alguma disciplina, podem mudar para outra durante o 1º período, com o consequente dispêndio económico para comprar livros por parte dos pais, as explicações não são rentáveis muito por culpa da falta de empenho dos estudantes...
São várias as situações a apontar para o insucesso escolar. A juntar a tudo isto temos também a internet, a Play Station e o mp3 como os principais "amigos", sem esquecer a "night". Todos nós passámos por estas idades, mas complica-me o sistema ver miúdos e miúdas de 13/14 anos até altas horas da madrugada nos sábados.
Alguém me consegue explicar isto?

Creio que é tempo de repensar estratégias, de se abanar todo este circulo, no qual todos tem responsabilidades. Sei que este tema não é fácil de tratar, pois cada um poderá enumerar diversos factores que justifiquem o inicio do post, a má classificação no ranking.
Cada cabeça sua sentença como diz o ditado.

O que acham?

Uma Paixão, uma opinião pessoal!